Mulher prestava serviço ao PCC a mando de presidiário

Uma mulher de 27 anos foi presa na sexta-feira (18) no Jardim Manaíra em Campo Grande. A moça já era procurada pela polícia desde o dia 19 de abril por envolvimento com uma quadrilha que prestava serviços à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC ), na casa dela ainda foram encontradas pasta base, cocaína, maconha e balanças.

Janaína Franciele Araújo da Silva foi presa na própria casa, mas segundo a Denar (Delegacia Especializada de Repreensão ao Narcotráfico) antes da prisão de seus comparsas a jovem morava no Jardim Los Angeles. No dia 19 de abril de 2018 a Denar fez a prisão de quatro pessoas por envolvimento com o tráfico entre elas Lucélia dos Santos, tia de Janaína, e Yuri Augusto Menezes Barros, namorado de Lucélia.

Janaína também fazia parte desta quadrilha, mas acabou fugindo da prisão já que não estava em casa quando a polícia foi lhe fazer “uma visita”. Na época, na residência de Janaína, foram encontradas algumas quantidades em drogas que ela alega serem de Yuri, mas a polícia desmente já que na casa do Yuri foram encontradas quantidades exorbitantes em droga.

A acusada vinha sendo vigiada pela polícia desde a prisão de seus comparsas, e foi assim que ela foi pega. Ao saber que a jovem faria uma entrega na sexta-feira, dia 18, a polícia, que já tinha a certeza de que encontraria drogas na casa de Janaína, fez a abordagem da mulher quando ela estava a caminho da casa de sua mãe. Ao ser interrogada sobre drogas encontradas em sua casa no dia 19 de abril Janaína mentiu, facilitando assim o trabalho da polícia que já sabia toda a verdade.

Na casa da moça foram encontradas cocaína, pasta base, maconha e duas balanças de precisão.  No total foram apreendidos 3,394 quilos de cocaína e 304 gramas de maconha.

Janaína, que falou bem pouco e não colaborou durante o interrogatório, tinha a ficha limpa e não quis revelar para quem trabalha, a moça só contou que não recebe dinheiro algum pela entrega das drogas e que faz tudo isso a mando de um homem que ela não sabe o nome, e este homem, por sua vez, está preso em uma penitenciária.

Para o delegado da Denar, Gustavo Ferrari, a versão da capturada faz sentido já que não foi encontrada quantia em dinheiro em sua casa no Jardim Manaíra.

Janaína está cumprindo prisão preventiva por tráfico de drogas e será encaminhada ao presídio feminino de Campo Grande.

Foto: Marco Matielo