Azambuja pede apoio de Bolsonaro para fechamento das Fronteiras em MS

Com apenas 19 dias de campanha até a disputa do 2° turno das eleições ao governo de Mato Grosso do Sul o candidato Reinaldo Azambuja (PSDB) se apressa na caça a novos partidos aliados e aposta nas campanhas no interior do Estado para conquistar eleitores. O postulante à reeleição ainda declarou recentemente aliança com o PSL (Partido Social Liberal) e ao seu candidato à presidência do Brasil, Jair Bolsonaro.

Em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira (08) Reinaldo Azambuja, que disputa o segundo turno das eleições para a vaga de governador com o Juiz Odilon (PDT), garantiu já ter propostas prontas ao Estado para a ampliação da segurança pública nas fronteiras do Paraguai e Bolívia. Ele ainda afirmou ter mandado uma carta ao candidato Jair pedindo o fechamento das fronteiras.

“Estou enviando um documento ao presidenciável Jair Bolsonaro que já entreguei à Dilma e ao Temer e nada aconteceu, pedindo o fechamento das fronteiras, para blindar as comarcas de Mato Grosso do Sul. Esta é uma obrigação do Governo Federal”, afirmou o candidato.

Reinaldo havia declarado apoio a dois candidatos a presidência antes do resultado do 1° turno das eleições, seriam eles Geraldo Alckimin e Jair Bolsonaro. Agora, nesta disputa do 2° turno, o candidato ao governo revelou a aliança com o PSL e reforçou com muita certeza o suporte a Bolsonaro dizendo que ele contribuirá com o grande problema de segurança fronteiriça no Estado.

“Bolsonaro tem simpatia por esta causa. A segurança pública é uma causa do país, mas, em nível federal, abandonaram as fronteiras. Queremos a presença das forças federais nos ajudando em mato Grosso do Sul. O Estado já faz um bom trabalho, mas com as próprias pernas. Se tiver o apoio do Governo Federal vai ampliar muito a segurança pública em favor do Estado”, contou o governador.

Nestes 19 dias de campanha que restam até as eleições do 2° turno Reinaldo pretende visitar as cidades do interior do Estado que não conseguiu percorrer até o último dia 06. Ele pretende caminhar pelos municípios onde teve maior quantidade de votos fazendo campanha e tentando conquistar ainda mais eleitores.