PM identifica um dos agressores de menor que caiu de arquibancada da Pantaneta

Cleir Ortiz Gonçalves, 22 anos, vulgo “Careca”, foi preso pela Polícia Militar na última sexta-feira (05) por tráfico de drogas e é apontado como um dos suspeitos de agredir o adolescente Silvano Pereira Silvero, de 17 anos que, para fugir de 8 agressores, acabou caindo da arquibancada que fica no centro da avenida Pantaneta, em Aquidauana.

Fontes do JNE confirmaram que Careca foi preso ao ser abordado por uma equipe do GETAM – Grupamento Especializado Tático de Ações Motorizadas, quando ia entregar paradinhas de maconha para usuários. Na delegacia, durante registro da ocorrência, Cleir recebeu uma ligação da irmã onde foi informado que Silvano havia falecido. Ele acabou relatando aos policiais militares que era um dos 8 jovens que participaram da agressão contra o adolescente.

De acordo com informações levantadas pela reportagem, o caso aconteceu na segunda-feira, no 1º dia de outubro. Um amigo de Silvano contou à polícia que os dois estavam sentados na arquibancada construída na rotatória da rua Doutor Sábino do Patrocínio – a Pantaneta – quando um grupo de oito pessoas se aproximou.

Os suspeitos passaram a agredir o adolescente, que na tentativa de fugir, acabou se jogando da arquibancada, caindo de uma altura de aproximadamente três metros. O Corpo de Bombeiros foi acionado e socorreu Silvano até o hospital da cidade. Em virtude a gravidade dos ferimentos, o rapaz foi transferido para Campo Grande na terça-feira (2).

Após um dia internado na Santa Casa da Capital, os médicos constataram a morte encefálica de Silvano. Para a polícia, o pai do adolescente relatou que o filho não tinha desavenças e que sempre trabalhou em fazenda. No dia do crime, a vítima teria ido a Aquidauana para comprar pagar contas e comprar um arreio.

O corpo de Silvano passou por exames no Imol (Instituto Médico e Odontológico Legal) de Campo Grande e depois foi levado para Aquidauana, onde ocorreu o velório. Já Cleir foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil do município, para providências cabíveis.

Selfie no presídio

O JNE noticiou em julho deste ano que Cleir quando cumpria pena no Presídio de Dois Irmãos do Buriti, fez várias selfies e atualizou as fotos em seu perfil do Facebook, de dentro da cela. As imagens aparentemente tiradas de um aparelho celular foram enviadas à reportagem na época. Em uma das fotos, o detento aparece com mais dois “colegas de cela”, sendo eles Marcelo Pereira da Silva, 27 anos e Lanes Fernando Barbosa Pedroso, 26, todos com domicílio em Aquidauana.

O fato foi confirmado pela Agepen – Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário, via assessoria de comunicação informando que, durante vistoria, o celular havia sido apreendido. Em nota, foi informado à reportagem que os internos identificados nas fotos ficaram isolados em cela disciplinar, bem como o celular utilizado foi apreendido e encaminhado para Gerência de Inteligência do Sistema Penitenciário (GISP) para perícia e investigações necessárias.

Ainda segundo a Agência, na época foi aberto um processo administrativo disciplinar pela direção do presídio. O uso do celular pelo preso é considerada falta grave, o que altera a sua data base, ou seja, pode ocasionar o maior tempo de permanência na prisão.