“Cigarreiro” é morto em troca de tiros com a Polícia Rodoviária Federal em Anastácio

Um homem, que não teve a identidade revelada, morreu após trocar tiros com a Polícia Rodoviária Federal, no final da tarde desta quarta-feira (28), na BR-262, próximo a cidade de Anastácio. Ele conduzia uma carreta com carga de cigarros contrabandeados.

De acordo com informações da PRF, equipe policial avistou duas carretas trafegando juntas em alta velocidade na rodovia e tentou abordá-las. Na altura do km 510, uma das carretas parou, a outra, desobedeceu a ordem e empreendeu fuga. O motorista conduzia o bitrem de forma muito agressiva, expondo os demais usuários da via em risco: dirigindo pela contramão de direção, na iminência de causar uma colisão frontal, como também forçando os veículos a seguirem pelo acostamento e até mesmo pararem ou saírem de pista.

Os policiais rodoviários federais chegaram a parear a viatura três vezes ordenando que o homem parasse a carreta e foram ignorados. Na terceira vez, o condutor realizou de dentro da cabine um disparo contra a viatura PRF, afim de evitar aproximação da equipe. Diante da agressão e do risco de um grave acidente, os PRFs realizaram disparos contra os pneus da carreta, o que obrigou o motorista a parar.

Ainda de acordo com a PRF, o homem parou sobre a pista de rolamento e logo que desceu do veículo efetuando vários disparos contra a equipe que reagiu, revidando os tiros. O condutor foi alvejado e ferido, sendo socorrido pelos policiais no entanto, não sobreviveu aos ferimentos e faleceu minutos depois no Hospital Regional de Aquidauana.

Nenhum dos policiais ficaram feridos na ocorrência. Em nota, a PRF salienta que os agentes tentaram de todas as formas evitar um mal maior, conforme doutrina da Corporação, agiram com o uso progressivo da força até o momento em que foram expostos com a própria vida, sendo obrigados a agirem com o uso progressivo da força e em estrito cumprimento do dever legal.

 

Foto: Divulgação/WhatsApp