Após 10 dias de paralisação, terminou a greve dos coletores de lixo da Capital. Entretanto, a coleta ainda não poderá ser feita, uma vez que a empresa “não tem combustível” para realizar o trabalho. Trabalhadores e empresários estiveram reunidos hoje (18) no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). A decisão de por fim à greve foi tomada depois que a Prefeitura depositou, na Justiça, o dinheiro para o pagamento dos funcionários.

De outro lado, a Solurb alega que, depois de quitar a dívida com os trabalhadores, não há dinheiro para abastecer os caminhões de coleta. Segundo superintendente executivo da Solurb, Lucas Dolzan, mesmo com o retorno dos empregados, a Solurb terá dificuldades para retomar o serviço de coleta de lixo porque dos 50 veículos da frota 35 estão bloqueados pela empresa de leasing em razão de não pagamento de parcelas do financiamento e também há dificuldade financeira para abastecer a frota com combustível.

Também na manhã de hoje, o Ministério Público Estadual (MPE), entrou com uma liminar na Justiça, pedindo a retomada dos serviços. O pedido foi acatado pelo juiz substituto da 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos da Capital, Marcelo Ivo de Oliveira. O juiz determinou a retomada dos serviços de coleta em um prazo de 24 horas sob pena de multa de R$ 100 mil por dia.

Ontem, a Prefeitura de Campo Grande havia pedido à Justiça a prisão dos responsáveis pela coleta de lixo na Capital.

Da Redação
Foto: Divulgação