Gazeta Esportiva/JB

A iminente aposentadoria de Rogério Ceni e a possível saída de Luis Fabiano transformarão Paulo Henrique Ganso em um dos veteranos do elenco do São Paulo. Embora opte por não descartar eventuais negociações com rivais brasileiros, o camisa 10 acena com a própria permanência para o ano que vem.

“Eu continuo, tenho contrato até 2017 e estou com a cabeça tranquila”, começou o meio-campista em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, no CT da Barra Funda. Assinado ainda em 2012, quando deixou o Santos, seu vínculo com o Tricolor terá validade até setembro do ano mencionado.

O jogador, entretanto, não quis condicionar a carreira no Brasil apenas ao clube do Morumbi. Vale lembrar que o armador já teve seu nome especulado em outras equipes do futebol nacional, como o Flamengo e o próprio Alvinegro Praiano. Desde que foi contratado pelo time da Barra Funda, Ganso só conquistou a Copa Sul-Americana de 2012, na qual pouco atuou sob as sombras de Lucas e Jadson.

“É difícil, pô. Não dá para falar que só joga no São Paulo, não posso fechar as portas para qualquer outro clube no Brasil e no mundo. Isso não dá para falar”, despistou o são-paulino, que chegou a ser contatado pelo Orlando City, time de Kaká nos Estados Unidos.

“Não dá para eu falar. Se chegar alguma proposta, vai chegar direto no presidente, que agora é o Leco [Carlos Augusto de Barros e Silva], e cabe a ele responder isso, não eu”, prosseguiu. “A permanência de todo mundo no São Paulo depende de vitórias. Quando você vence, continua no seu trabalho e no seu bom ambiente”, encerrou Ganso, falando pouco.

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press