Jpeg

Redação

O primeiro museu do gênero do país, que em 2015 já teve 3,5 milhões de visitantes, foi um dos dez museus do país selecionados para participar do Museum Connections 2016, em Paris

O Museu do Videogame Itinerante, o primeiro do gênero no Brasil registrado e reconhecido pelo Ibram – Instituto Brasileiro de Museus, foi um dos dez museus escolhidos para representar o nosso país no Museum Connections 2016, evento internacional que reúne milhares de profissionais de museus do mundo todo em Paris. Vencedor do prêmio de museu mais criativo do país em 2014, pelo Ministério da Cultura, o Museu do Videogame Itinerante recebeu, somente em 2015, mais de 3,5 milhões de visitantes em nove cidades que visitou (Campo Grande-MS, Londrina-PR, Recife-PE, Pelotas-RS, Salvador-BA, Aracaju-SE, Fortaleza-CE, Teresina-PI e Pato Branco-PR).

Em sua 21ª edição, a Museum Connections é uma feira internacional que ocorre anualmente e reúne profissionais de diversas áreas ligadas à museologia, gestão de museus, sustentabilidade e empreendedorismo ligado à cadeia produtiva de museus. Em 2015, a feira reuniu 170 expositores e teve público visitante de mais de 4 mil pessoas.

Conforme estabelece o edital Conexão Cultura Brasil #negócios, do Ministério da Cultura, foram selecionados dez empreendedores e representantes de empreendimentos brasileiros ligados à cadeia produtiva de museus e dez representantes de museus brasileiros.  Ao todo, 98 propostas de empreendedores foram encaminhadas para o Ministério.

De acordo com o curador do Museu do Videogame Itinerante, Cleidson Lima, o acervo conta com cerca de 250 consoles de todas as gerações que contam 43 anos de evolução. Entre as relíquias estão o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; o Atari Pong (primeiro console doméstico da Atari), de 1976; Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o TV-Game 6 (primeiro console fabricado pela Nintendo), de 1976, o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (primeiro a rodar jogos 3D); o Vectrex, de 1982 (console com jogos vetoriais que já vinha com monitor); o Microvision (primeiro portátil a usar cartucho), de 1979 e o R.O.B (robozinho lançado juntamente com o Nintendo 8 bits, em 1985), entre outros.

Um dos diferenciais do Museu do Videogame Itinerante é que, além de conhecer consoles e jogos raros, os visitantes também podem jogar em alguns videogames que fizeram história, tais como o Telejogo Philco-Ford, Atari 2600, Odyssey 2, Nintendo Famicom, Nintendinho 8 bits, Master System, Mega Drive, Sega CD, Super Nintendo, Neo Geo, Panasonic 3DO, Turbografx, Nintendo 64, Game Cube, Sega Dreamcast, Xbox, Playstation 1, PlayStation 2, entre outros. O espaço conta ainda com modelos da nova geração de consoles, tais como PlayStation 4, Xbox One e Wii U.

O Museu do Videogame Itinerante começou em 2011, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, a partir de uma coleção de videogames de Cleidson Lima, mantida desde 2004. Em 2014 recebeu o prêmio do Ministério da Cultura como o museu mais criativo do Brasil. Em 2015, com apoio da PlayStation Brasil, Nintendo, Intel, Ubisoft e Philips, o museu ganhou novo formato e tornou-se itinerante, passando a ser o primeiro do gênero no país registrado pelo Instituto Brasileiro de Museu (Ibram).

Em 2016, o Museu do Videogame Itinerante está previsto para passar por cidades como Curitiba-PR, Caxias do Sul-RS, Maceió-AL, João Pessoa-PB, São Luís-MA, Belém-PA, Manaus-AM, Recife-PE, Fortaleza-CE, São Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ e Brasília-DF.

Para mais informações sobre o Museu do Videogame Itinerante, basta acessar o endereço (Clique aqui).

Foto: Divulgação