Gazeta Esportiva

Dorival Júnior tem mantido o discurso cauteloso sobre as finais da Copa do Brasil, contra o Palmeiras. O comandante santista ressalta a todo momento o fato do Peixe ter jogos importantes pelo Campeonato Brasileiro, em meio a disputa pelo G4, antes de duelar com o alviverde pela taça. Mas, segurar a ansiedade de um jovem de 22 anos que deve entrar em campo em uma decisão pela primeira vez é quase impossível. Xodó da torcida alvinegra, Gustavo Henrique é sincero ao falar sobre a expectativa em ser protagonista em um título tão importante para o Santos na temporada.

“Expectativa boa, ansiedade grande. Vai ser minha primeira final jogando. Estou tranquilo, vou trabalhar durante esses dez dias para fazer o meu melhor”, comentou o zagueiro, que não quer apenas entrar para a história como coadjuvante de uma conquista.

“Sonho até além, em fazer o gol. Quando deito para dormir, sonho em comemorar com a torcida. Todos pensam antes de dormir. Quem sabe? Pode se tornar realidade”, revelou, se espelhando em Edu Dracena, um dos seus ídolos, na campanha do único título do Peixe na Copa do Brasil até hoje. “Teve gol de zagueiro, em 2010, na final. Mas, quem fizer, o importante é o Santos campeão”, ponderou.

Com a mudança de datas, o torneio começará a ser definido apenas dia 25 e terá sua grande decisão dia 2 de dezembro. Além disso, Gustavo Henrique comemorou os dez dias de paralisação no Brasileirão decorrentes em função dos jogos da Seleção Brasileira pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

“Acho que sim (é importante). A gente vem de grandes jogos, uma sequência forte. É bom esse treinamento, até pela parte tática, física e chegar com força total”, explicou, antes de adotar um discurso mais simplista e refutar qualquer clima de rivalidade exacerbada entre Santos e Palmeiras por causa das finais do Campeonato Paulista deste ano, quando o time da Vila Belmiro acabou se sagrando campeão, e das últimas desavenças entre os capitães das duas equipes, Ricardo Oliveira e Fernando Prass.

“Sempre foi um grande clássico. Alguns jogadores declararam que é uma revanche contra a gente, mas estamos tranquilos. O que tiver que ser vai ser feito dentro de campo”, finalizou.

Foto: Ricardo Saibun