Vista da cidade de Mariana (MG), nesta quarta-feira (11), após o rompimento da barragem da mineradora Samarco que causou uma enxurrada de lama, destruindo o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, e a mancha segue pelo Rio Doce em direção ao Espírito Santo. Eliseu Damasceno/Futura Press

Terra/JB

Executivos da mineradora Samarco, controlada pela Vale e pela BHP Billiton, admitiram ontem (17) durante coletiva de imprensa que há risco de rompimento nas barragens de Santarém e Germano. Ambas apresentam danos após colapso da barragem do Fundão.

O diretor de operações e infraestrutura da Samarco, Kléber Terra, explicou que o fator de segurança na barragem de Santarém é de 1,37 numa escala de 0 a 2, o que corresponde a uma estabilidade de 37%. O executivo destacou que estão sendo realizadas obras emergenciais nas duas barragens.

Foto: Eliseu Damasceno/Futura Press