Redação

Com o intuito de elevar os percentuais de produção e a qualidade do leite produzido por cooperativas e pequenos produtores familiares, o Governo de Mato Grosso do Sul injetou R$ 439 mil em recursos, somente na tarde desta terça-feira (24), por meio da entrega de 43 resfriadores a associações de 19 municípios.

O dinheiro investido faz parte dos R$ 800 mil aprovados na forma de dois convênios firmados entre Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O repasse dos equipamentos foi feito no pátio do Centro de Pesquisa e Capacitação da Agraer (Cepaer), pelo governador Reinaldo Azambuja, através da cerimônia de assinatura dos termos de permissão e cessão de uso.

A previsão é de que outras 40 unidades sejam entregues já no início de 2016, segundo declaração do chefe do Executivo Estadual. “Isso aqui é o resgate de um contrato de 2012 que estava praticamente parado e com os esforços e a economia no processo licitatório será possível comprar outros 40 equipamentos para serem entregues em janeiro”, garantiu Reinaldo.

Em seu pronunciamento, o governador ainda frisou que os investimentos no Estado não se limitam aos convênios. “Ainda teremos quase R$ 20 milhões viabilizados para a Agraer através de emenda parlamentares. Dinheiro esse que será revertido em equipamentos e outras diversas ações para o fortalecimento da agricultura familiar que é hoje a responsável por grande parte dos alimentos que chegam em nossas casas”, disse.

Para o diretor-presidente da Agraer, Enelvo Felini, o repasse dos equipamentos deverá beneficiar centenas de famílias que fazem da ordenha a sua principal fonte de renda. “A pecuária leiteira é uma das principais atividades da agricultura familiar do Estado. Nossa estimativa é de fechar o convênio com 85 resfriadores comprados e entregues. Estamos satisfeitos com o apoio que recebemos do Mapa”, falou.

Apoio esse que só foi possível graças ao interesse e o esforço do Governo do Estado junto ao Mapa, conforme declaração do superintendente da Agricultura (SFA – MAPA/MS), Celso Martins. “Esse projeto é de 2012, que o governo do Estado por intermédio da Agraer conseguiu resgatar os convênios. Então, estamos aqui tanto para comemorar como para reforçar essa ação de incentivo que é mais um salto para as atividades dos pequenos produtores. Aqui, reiteramos ao governador o compromisso da superintendência do Ministério em ações que sejam legítimas para o desenvolvimento da pecuária no Estado”, afirmou Celso.

Os equipamentos foram adquiridos por meio dos dois contratos de repasse n.º 781.953 e o 781.959/2012. Só nessa primeira etapa de licitação, o contrato n.º 781.959, possibilitou a compra de 25 resfriadores de leite de 2 mil litros. Enquanto que o de n.º 781.953, garantiu a obtenção de outras 18 unidades com capacidade para armazenar até mil litros de leite.

Investimento esse que na opinião do secretário de Estado de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf), Fernando Lamas, demonstra o comprometimento do poder público com o homem do campo. “A produção de leite é um dos cinco eixos que o governo do Estado determinou que devem ser estimulados. Portanto, esperamos que os equipamentos sejam um instrumento para contribuir com a qualidade, escala de produção e o poder de negociação com os laticínios”, pontuou.

Ao todo, 41 entidades foram beneficiadas, cooperativas e associações de pequenos produtores de leite, situadas nos seguintes municípios: Anastácio, Anaurilândia, Aquidauana, Costa Rica, Coxim, Dois Irmãos do Buriti, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Jaraguari, Juti, Nioaque, Nova Alvorada do Sul, Paranaíba, Rio Brilhante, Selvíria, Sidrolândia, Ponta Porã e Vicentina.

Em nome das instituições e prefeituras contempladas, o prefeito de Nova Alvorada do Sul e presidente da Assomasul, Juvenal Neto, agradeceu a atenção dada a classe rural, em especial nesse período tão delicado de crise financeira que se instalou no País. “São através dessas parcerias que vamos vencer as crises que tanto prejudicam o desenvolvimento social. Acredito que os resfriadores servirão para aquecer a economia dos municípios, pois servirão como ferramentas de trabalho para os produtores que depositam no leite o sustento de sua família”.

Foto: Divulgação/Assessoria