Gazeta Esportiva

A conquista antecipada do Campeonato Brasileiro permitiu a Tite se entregar às boas memórias da temporada antes mesmo de seu fim. O treinador, que chegou a se pegar contemplando o time à beira do campo, apontou vários momentos positivos, mas procurou mostrar que não superou a eliminação no Campeonato Paulista.

“Eu confesso que perderia na banca. Apostava que seria campeão. Era o meu sentimento. Pensava: ‘Com o que a equipe está jogando, não tem jeito, cara’. Pegou o Palmeiras, que fez um grande primeiro tempo, empatou. Aí, pênaltis, um jogo só… O campeonato tem esse regulamento cruel”, afirmou.

O Corinthians havia chegado às semifinais do Estadual com a melhor campanha, sem nenhuma derrota. Aí, mesmo com a classificação às oitavas de final da Copa Libertadores muito bem encaminhada, preferiu priorizar um confronto com o San Lorenzo pela disputa sul-americana.

Entrando na história do Derby ao poupar jogadores em uma semifinal de Paulista, Tite começou o jogo com Elias e Renato Augusto no banco. Ao fim do empate por 2 a 2, o Palmeiras levou a melhor por 6 a 5 nos tiros da marca penal e desfez a certeza de título do gaúcho.

Parte dessa certeza vinha do desempenho convincente na Libertadores. Após uma goleada sobre o uruguaio Danubio, o treinador disse ter deixado o cargo momentaneamente de lado para desfrutar o belo futebol em campo. Nas oitavas de final, foi mais bonito o desempenho do frágil Guaraní.

Eliminado nas disputas estadual e continental, o Corinthians entrou de maneira bem mais humilde no Campeonato Brasileiro. O resultado foi o hexa, obtido com três rodadas de antecedência e liderança em quase todos os quesitos estatísticos. A campanha ainda pode ser a melhor da era dos pontos corridos.

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press