Redação

Com a finalidade de aumentar as possibilidades de inserção e promover a reinserção dos trabalhadores no mercado do trabalho e outras formas de geração de trabalho e renda, o Governo do Estado inaugura nesta quinta-feira (10), às 9h, a Casa de Qualificação, localizada na Rua 7 de setembro, 912 (entre as ruas Rui Barbosa e Pedro Celestino), no Centro de Campo Grande.

O Governo do Estado, responsável pela demanda de qualificação social e profissional, empenha-se em resgatar a mão de obra qualificada em prol da melhoria da qualidade de vida da população, realiza investimentos nos cursos de qualificação.

A Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), que tem como finalidade formular a Política Pública de Emprego Trabalho e Renda no âmbito do Estado, apresenta uma proposta inovadora que é a Casa de Qualificação, cujos objetivos são: qualificar os trabalhadores e trabalhadoras com cursos profissionalizantes de, no mínimo, 40 horas; encaminhar os qualificados para o mercado do trabalho através da Intermediação de Mão de Obra, Banco Cidadão e Economia Solidária e encaminhar os qualificados (interessados em elevar sua escolaridade) à Secretaria Estadual e Municipal de Educação.

O diretor-presidente da Funtrab, Wilton Acosta, afirma ter grandes expectativas nesta iniciativa. “A Casa de Qualificação possui capacidade para atender aproximadamente 1.800 trabalhadores por mês, portanto, isto resgata um dos principais compromissos de campanha do governador Reinaldo Azambuja, que é o da qualificação profissional”, comemora.

O projeto surgiu devido à grande necessidade de qualificação social e profissional dos trabalhadores do Estado. De janeiro a outubro deste ano, a Funtrab por meio das 31 Casas do Trabalhador no MS, atendeu 475.522 pessoas até o mês de outubro, dentre essas, 80.000 foram encaminhadas para as vagas intermediadas, das quais 14.644 foram reprovadas por não estarem dentro do perfil que a vaga exige.

No contexto atual, o que se presencia é um inusitado fenômeno no mercado de trabalho nacional: se de um lado vemos significativos contingentes de pessoas desempregadas em busca de uma colocação no mercado do trabalho, de outro lado há empresas de setores dinâmicos da economia que não conseguem preencher seus quadros de funcionários em virtude da escassez relativa de trabalhadores qualificados para determinadas tarefas. Nos dias atuais, discute-se sobre possibilidades de inserção ocupacional em determinados segmentos sociais e de geração de renda, onde prevalecem os atributos do indivíduo qualificado.

Foto: Divulgação