Redação

A população dos municípios de Corumbá e Ladário pode ficar tranquila com relação à situação das barragens de resíduos minerais existentes no Maciço de Urucum. Na manhã de ontem, técnicos do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) vistoriaram in loco 14 barragens nas minas de Antônio Maria Coelho e Urucum, pertencentes à companhia Vale e, numa análise preliminar técnica e visual, não constataram quaisquer indícios que sinalizem a possibilidade de uma ocorrência como a que atingiu a região de Mariana (MG).

A vistoria foi realizada durante toda a tarde de segunda-feira (7) por oito técnicos do Imasul – sendo seis de Campo Grande e dois da Regional do instituto em Corumbá – juntamente com três profissionais do CREA. A equipe do Imasul ainda fez a coleta de amostras de água em rios próximos ao local das barragens, para análise em laboratório. Um laudo técnico elaborado pela equipe multidisciplinar do órgão deverá ser apresentado nos próximos dias.

“Vistoriamos todas as barragens da Vale e podemos dizer com segurança que as populações de Corumbá e Ladário podem ficar tranquilas. Em uma suposta situação de rompimento de alguma das estruturas, não haveria prejuízos à população. Existem sim impactos ambientais para a fauna, flora e recursos hídricos da região numa eventualidade como essa, mas em princípio a situação está sob controle. Vamos elaborar um laudo técnico que será apresentado à empresa e aos demais órgãos competentes”, afirmou o diretor de Licenciamento do Imasul, Ricardo Eboli, que coordenou a equipe multidisciplinar que verificou as condições das 14 barragens da vale nas minas de Antônio Maria Coelho e Urucum.

O trabalho dos técnicos foi realizado nos dias 07 e 08 de Dezembro, com a vistoria in loco e coleta de amostrar de água em rios próximos aos locais de extração. Agora, a equipe do Imasul ainda irá solicitar informações técnicas adicionais à Vale. Após o envio dessas informações, o

laudo final, com o resultado das análises e possíveis recomendações deverá ser concluído em sete dias úteis. Além da equipe de fiscalização do Imasul, três profissionais do CREA no município também acompanharam o procedimento, a convite do Instituto.

“A fiscalização foi preventiva e teve por objetivo tranquilizar a população. Nesse sentido, vimos que não há motivo para qualquer alarde”, reforçou Ricardo Eboli.

A visita às barragens foi acompanhada também, pelo gerente de Operações Ferrosos Centro-Oeste da Vale, Olemar Tibães Lopes Júnior, além de técnicos das áreas de segurança, engenharia e meio ambiente da mineradora. (Com assessoria Imasul)

Foto: Divulgação