A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) realiza reunião deliberativa com 14 itens. Entre eles, PLS 65/2012, que reduz a 3% alíquota do ISS sobre turismo rural e PLS 252/2011, que cria programa de microdestilarias de álcool e biocombustíveis. Em pronunciamento, presidente da CAE, senador Delcídio Amaral (PT-MS). Foto: Foto: Geraldo Magela /Agência Senado

por Laureano Secundo

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) que está preso desde 25 de novembro, acusado de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato passa a ocupar a carceragem da superintendência da Polícia Federal em Brasília para o quartel da Polícia Militar no Distrito Federal. O pedido de transferência foi formalizado pela defesa de Delcídio  e aceito pelo ministro, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou a transferência do senador e acordo com a Procuradoria Geral da República (PGR).

Na superintendência da PF, o petista estava em uma sala administrativa que, geralmente, é utilizada por servidores de plantão, e não possui cama nem banheiro. A PF improvisou um colchão de solteiro para ele dormir. Ele recebia a mesma alimentação que é oferecida aos demais presos da carceragem de passagem. Conforme a PF, ele não tinha acesso a celular, televisão e internet. Leia a matéria completa na edição desta segunda-feira no JNE (Jornal Notícias do Estado)

Foto: Reprodução