Redação

O líder do governo na Casa de Leis, Professor Rinaldo (PSDB), agradeceu o empenho de todos os parlamentares na interlocução com o Governo do Estado. “A parceria com os pares de todas as bancadas foi fundamental. A condução com maestria e sensatez pelo presidente Junior Mochi, através do Colégio de Líderes e demais membros da Mesa Diretora permitiu um ano vitorioso, apesar de todas as dificuldades da política brasileira”, destacou durante o discurso nesta terça-feira (22/12), última sessão ordinária antes do recesso legislativo.

“Ressalto que na Educação houve avanços. A greve durou apenas uma semana, pois os deputados se sensibilizaram com a questão e dialogaram com o Governo, possibilitando solução rápida. Além disso, o salário do educador é o melhor do país, sabemos que ainda não é o que os educadores pleiteiam. Na Segurança Pública, mulheres e homens ingressaram na Polícia Civil, o novo prédio da CEPOL [Centro Especializado de Polícia Integrada] foi inaugurado, além de reformas em delegacias. E na área social, mais convênios foram celebrados com entidades filantrópicas, o Bolsa Universitária aumentou 50% e o programa Rede Solidária foi inaugurado no bairro mais vulnerável de Campo Grande, com o objetivo de emancipar socialmente as famílias. Somos o único Estado da federação a ter um número positivo na geração de emprego e renda”, declarou Professor Rinaldo.

O líder da Casa de Leis também comentou o ajuste fiscal votado e aprovado no Parlamento Estadual. “Tivemos que fazer o ajuste fiscal, devido às necessidades do Estado, nesse momento em que o país atravessa uma crise e o 1% deste valor arrecadado com o ICMS, será revertido para instituições do 3º setor, que trabalham com a Melhor Idade, dependentes químicos e deficientes mentais”, mencionou Rinaldo.

A deputada Mara Caseiro (PMB), 3ª vice-presidente da Assembleia Legislativa, também falou do trabalho cumprido em prol da sociedade. “Sou presidente da Comissão de Saúde e houve melhorias na área, a Caravana da Saúde é um exemplo disso, atendendo a demanda dos municípios e zerando filas, onde não havia atendimento. Também falamos bastante sobre os conflitos de demarcação no Estado que está vitimando os indígenas e os produtores rurais e esperamos uma solução, em 2016, do Governo Federal, para que não haja tanto sofrimento. Agradeço aos deputados e aos servidores que, com muito carinho e dedicação, fazem nosso trabalho surtir efeito na sociedade”, considerou Mara.

O deputado Cabo Almi (PT), 2º Secretário da Casa de Leis, criticou o primeiro ano do Governo Estadual. “Foi um ano movimentado e difícil, em que as pessoas estão clamando por educação, segurança pública e um atendimento na Saúde. Não aceito também o aumento de impostos feito com o ajuste fiscal. É preciso melhorar ainda nessas áreas, acho que o Governo tem feito apenas o ‘feijão com arroz’. Houve também a atuação forte das instituições, da Polícia Federal, do Gaeco, do Ministério Público. Nós, na condição de homens públicos, precisamos nos adequar a nova forma de se fazer política no País”, acrescentou Almi.

Foto: Divulgação