Avelino Neto

Investigação sobre a execução a tiros do empresario japonês  Hiroyuki Sato (60), proprietário de loja em Pedro Juan Caballero, Paraguai,  ocorrida no dia 29 de janeiro, levou a polícia paraguaia constatar que a vítima de dedicava a emprestar (agiotagem no Brasil) grandes quantias em dinheiro para diversas pessoas de Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, inclusive, segundo a polícia, pessoas de reputação duvidosa e de ligações com o narcotráfico.

A polícia paraguaia inclusive já teria interrogado duas pessoas conhecidas em Pedro Juan Caballero, as quais estariam devendo ao “japonês” cerca de 15 milhões de dólares. Por conta desses empréstimos Sato teria se apropriado de diversas residências e mais recentemente um sítio como forma de receber o que lhe deviam.

Com a apuração da morte, a polícia descobriu ainda cheques de “clientes” de Sato, que somados ultrapassam a casa dos 10 milhões de dólares. A localização e prisão de dois suspeitos na execução, conforme a polícia, deverão ser determinantes no esclarecimento do crime. A polícia deverá ainda na próxima semana, divulgar a lista com nomes de pessoas cujos cheques estavam em poder da vítima, por entender que a divulgação irá resultar em informações importantes para o esclarecimento do crime.