Que a situação em que vivem os povos indígenas em Mato Grosso do Sul é preocupante, todos já sabemos, mas descobrir em que grau as dificuldades de sobreviver aqui, é no mínimo, chocante para qualquer cidadão. Essa realidade, a qual nos referirmos, foi estampada na nossa cara nesta semana com a divulgação do relatório “O Direito Humano à Alimentação Adequada e à Nutrição do povo Guarani e Kaiowá – um enfoque holístico”, em evento na Faculdade de Ciências da Saúde, da UnB, em Brasília.  Produzido pela Fian Brasil em parceria com o Conselho Indigenista Missionário (CIMI), o documento analisa as violações de direitos e as causas  extrema situação de insegurança alimentar e nutricional entre os Guarani e Kaiowá no Mato Grosso do Sul.

 

Matéria completa, amanhã no JNE.