Quem souber o paradeiro de José Carlos, avisar a Polícia Civil no telefone 67 3241-1077 ou PM via 190

Katiele Cordeiro, 27 anos, foi morta na tarde deste domingo (21) pelo amásio José Carlos da Silva, 60, na fazenda Fazendinha, no Pantanal, região da Curva do Leque, município de Aquidauana. A Polícia Civil e a Perícia se deslocaram de avião na manhã desta segunda, já que por conta das chuvas, não foi possível chegar ao local via terrestre.

De acordo com as informações repassadas pelo Núcleo de Inteligência, Investigações e Capturas – NIIC, da Polícia Civil de Aquidauana, Joel Amorim, funcionário da fazenda, viu que antes de matar a vítima, os dois discutiam do lado de fora da casa. José Carlos apontou o dedo por três vezes para ela e entraram na residência, quando a testemunha ouviu o barulho de um disparo e em seguida, o acusado chamou Joel e disse: “Acabei de matar essa desgraça da minha mulher, entra lá, a única pessoa que confio é você”. A testemunha entrou no quarto e se deparou com Katiele já sem vida, caída na cama e com um ferimento a bala na cabeça. O projétil da bala estava ao lado do corpo.

Ainda de acordo com o relato de Joel à polícia, José Carlos arrumou suas coisas, saiu da fazenda em uma égua preta (quarto de milha meio sangue) e tomou rumo ignorado. A Polícia Civil de Aquidauana entrou em contato com as delegacias das cidades próximas para informar o ocorrido e buscar apoio para achar o autor.

No local, os policiais tiveram a informação que a vítima estava na fazenda há dois meses e o autor era funcionário antigo. Eles começaram a se relacionar, mas Katiele decidiu terminar o relacionamento e José Carlos não aceitava. Ainda de acordo com os levantamentos, a jovem queria voltar para cidade, o que pode ter contribuído para o feminicídio. Ao lado do corpo havia uma mala com roupas de Katiele.

Difícil acesso – Só possível chegar ao local do ocorrido mais de 12 horas depois, já que no domingo, por conta do mau tempo, não foi possível voar até o local. A estrada de acesso está intransitável, e o deslocamento poderia durar mais de sete horas.

Devido as condições do tempo e estrada, corpo da vítima foi trazida para Aquidauana de avião

Local onde ocorreu o crime

Fotos: Divulgação/Polícia Civil