Afronta à população: Dois reincidentes do tráfico são retirados de circulação pela PM

Thiago Rezende Correa, 28 anos, vulgo “zóio” e Anderlon Benitez Valdez, 25 anos, conhecido como “Bob Dilan” foram presos na madrugada desta terça-feira (09) pela Polícia Militar, por comercializarem drogas em Aquidauana. A dupla já é velha conhecida dos policiais.

De acordo com informações levantadas pelo JNE, equipe da Força Tática fazia monitoramento próximo a casa de Thiago, nas proximidades da Rua Estevão Alves Correa, quando perceberam intensa movimentação. Por ser conhecido da polícia, ao sair de casa, zóio foi abordado pela guarnição.

Questionado sobre o movimento, o suspeito disse ter drogas em sua residência. A equipe então foi com ele no local, onde foi encontrado a maconha e balança de precisão. Thiago também falou para os militares que teria passado cerca de 10 quilos de maconha em tabletes para Anderlon.

A PM então se deslocou até a casa de Bob Dilan, que fica no Bairro Guanandy e encontrou a droga. Durante buscas na residência foram localizados celulares e televisores sem notas, que foram apreendidos e encaminhados para delegacia, onde será averiguada a procedência. A motocicleta que Anderlon usou para fazer “a correria”, também foi apreendida.

A dupla que já foi presa por tráfico de drogas, novamente foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de Aquidauana para providências cabíveis e estão à disposição da justiça.

Cultivava maconha

Bob Dilan, como foi noticiado, já foi preso por tráfico e em uma das prisões, em novembro do ano passado, a Polícia Militar encontrou em sua residência, além de drogas, três pés de maconha, que ele e o pai cultivavam no fundo do imóvel.

De acordo com o relato dos policiais na época, durante os procedimentos na residência, Anderlon se exaltou e tentou investir contra a equipe, sendo necessário o uso de força moderado para algemá-lo. Por conta da imobilização, o suspeito disse aos militares que “iria ferrar com a vida dos policiais envolvidos na ocorrência”, porque conhecia como funciona as “audiências de custódia”.