Durante operação, PF apreende joias, dinheiro e carros de luxo

Joias, dinheiro, carros de luxo, celulares e uma escopeta calibre 12 estão entre os materiais apreendidos pela Polícia Federal durante a operação Teçá, deflagrada nesta quinta-feira (8). A ideia é desarticular organizações criminosas envolvidas com o contrabando em Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Norte.

De acordo com a PF, um policial auxiliava os criminosos nas atividades. O grupo tinha uma significativa capacidade logística, usada principalmente para a introdução e o transporte de cigarros de origem estrangeira no Mato Grosso do Sul e Estados vizinhos com destino a outras localidades do País.

As investigações, realizadas de 2018 a 2019,  apontam que as organizações criminosas possuem base territorial em Mato Grosso do Sul e articularam uma rede para internação e transporte de cigarros estrangeiros no território nacional, os quais ingressam no Brasil pela região da fronteira com o Paraguai.

Já foram apreendidos 155 veículos utilizados para o transporte de cigarros de origem estrangeira, com a prisão de 75 indivíduos.  Segundo a Polícia Federal, dentre as ocorrências, vale destacar a apreensão efetuada na cidade de Ivinhema (MS), em junho do ano passado, quando 11 carretas carregadas de cigarros de origem estrangeira foram apreendidas e nove pessoas foram presas em flagrante.

No total, foram apreendidos 1 milhão de maços de cigarros, avaliados em R$ 10 milhões. No total, o valor das mercadorias ilícitas apreendidas nas ações é de aproximadamente R$ 144 milhões.

O nome da Operação “TEÇÁ” faz referência a ‘estado de atenção, vigilância’, no idioma guarani, em razão da grande rede de olheiros, mateiros e batedores utilizados pelas Organizações Criminosas, os quais monitoram diuturnamente as atividades dos órgãos de fiscalização.

Fonte: Top Mídia News