Após acidente, PRF recupera caminhonete roubada e prende condutor e casal de batedores na BR-262

Mulher envolvida no caso foi presa pela quinta vez somente em 2019, quase sempre em ocorrências envolvendo veículos roubados, mas segue 'surfando nas ondas' da impunidade

Caminhonete Toyota/Hilux recuperada na ação desta terça-feira - Divulgação/PRF

Uma caminhonete roubada foi recuperada no quilômetro 602 da BR-262, em Miranda, na madrugada desta terça-feira (05), após o condutor sofrer um acidente durante fuga de abordagem da PRF (Polícia Rodoviária Federal). Ele ainda conseguiu escapar a pé, mas, posteriormente, acabou sendo localizado e preso. A equipe também prendeu um casal de batedores por envolvimento no plano de levar o veículo para Corumbá.

De acordo com a PRF, o condutor da caminhonete Toyota/Hilux, 35 anos, percebeu a fiscalização na rodovia e efetuou manobra de retorno. Os agentes realizaram o acompanhamento tático, momento em que o suspeito perdeu o controle de direção, saiu da pista e bateu em um barranco. Ele desceu do veículo e continuou fuga a pé, abandonando o passageiro que o acompanhava, que foi encaminhado para a Unidade Operacional da PRF. O homem relatou que tinha se envolvido em outro acidente perto de Miranda e solicitado carona ao motorista da caminhonete. Ele foi liberado por não haver qualquer comprovação de que tivesse envolvimento com o suspeito.

Após uma série de buscas, os policiais conseguiram localizar o condutor. Ele confessou que ganharia R$ 1.500,00 para levar a caminhonete de Maringá (PR) para Corumbá. O veículo, inclusive, tinha placas aparentes do município pantaneiro. Através de consulta no sistema, porém, a PRF verificou que a Hilux possuía uma ocorrência de roubo/furto e que as suas placas originais eram de Jaguapitã (PR).

No mesmo momento, ações de inteligência resultaram na abordagem de outro veículo suspeito, um Jeep/Renegade, placas de Belo Horizonte (MG), onde vinha um casal. O condutor, 24 anos, foi contraditório ao tentar explicar o motivo da viagem. A desconfiança de que eram batedores aumentou ainda mais porque a passageira, 29 anos, já responde criminalmente por receptação de veículo e foi presa outras quatro vezes somente neste ano. Ela, então, confessou que todos estavam envolvidos no transporte da Hilux até Corumbá.

Os três presos e os dois veículos foram encaminhados à Polícia Judiciária de Miranda.

Cinco prisões em pouco mais de quatro meses

A primeira prisão da passageira do Renegade em 2019 aconteceu em 03 de julho, no quilômetro 386 da BR-262, em Terenos, quando foi abordada dirigindo uma Ford/Ranger roubada/furtada e seguia para Corumbá.

Ainda em julho, no dia 24, ela estava em um ônibus de viagem que tinha Campo Grande como destino. A PRF encontrou um quilo de cocaína dentro da mala dela. Na mesma ocorrência, a equipe descobriu que dois dias antes, em 22 de julho, a mulher havia sido parada com um veículo Hyundai/Santa Fé. Na data da abordagem, não foram constatadas irregularidades, mas, após a ocorrência da cocaína, o sistema foi novamente consultado e apontou que se tratava de um veículo roubado em Curitiba (PR), o qual a autora disse que havia deixado em Corumbá.

Quase dois meses depois, no dia 19 de setembro, no quilômetro 602 da BR-262, em Miranda, a mesma mulher foi vista dirigindo uma caminhonete Toyota/Hilux, desobedeceu a ordem de parada e chegou a dirigir por 20 quilômetros. Depois, tentou dar sequência à fuga a pé, mas foi detida. A Hilux possuía registro de roubo.

Já no dia 03 de outubro, ela dirigia outra caminhonete Toyota/Hilux e foi abordada no quilômetro 142 da BR-262, em Água Clara. Desta vez, não tentou fugir e admitiu que se tratava de outro veículo ilícito, o que ficou comprovado por meio do sistema, que apontou que a caminhonete tinha sido roubada três dias antes, em Itapira (SP).