Esmagadoras de soja entram em operação em MS e materializam sonho da industrialização

Um dos maiores complexos industriais da América do Sul entrou em operação nesta segunda-feira (25) em Dourados. As esmagadoras de soja da Coamo, com capacidade de processamento de 3 mil toneladas do grão por dia e de refino de 720 toneladas de óleo/dia, começaram a funcionar durante cerimônia de inauguração com as presenças do governador Reinaldo Azambuja e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina.

Para a representante do Governo Federal, as unidades agregam valor à produção local e marcam a realização do sonho da industrialização de Mato Grosso do Sul “no momento em que o Brasil abre mercados”, o que dá oportunidades de expansão para exportação. “Os produtos de valor agregado em forma de farelo de soja ainda contribuem para o desenvolvimento das atividades da suinocultura, avicultura e também da bovinocultura”, destacou Tereza Cristina.

Construídas na BR-163, entre Dourados e Caarapó, com R$ 750 milhões de investimento, as novas indústrias da Coamo geram 300 empregos diretos na região. Para o governador Reinaldo Azambuja, a ativação das unidades industriais comprova que a “política estadual de trocar impostos por empregos tem dado certo”. “Coloca MS num patamar diferente da maioria dos estados brasileiros, somos um Estado que cumpre com obrigações, enfrenta desafios e tem economia diversa e pujante”, ressaltou.

Para Reinaldo Azambuja, o funcionamento do complexo industrial da Coamo menos de três anos do lançamento da pedra fundamental (2016) mostra ainda a confiança que Mato Grosso do Sul tem entre os empresários. MS ocupa a quinta posição entre os estados mais competitivos do País, conforme levantamento do Centro de Liderança Pública (CLP), divulgado em outubro. Isso além de ter a menor taxa de desocupação e desemprego do País.

Diretor-presidente da Coamo, José Aroldo Gallassini, ressaltou que as políticas desenvolvimentistas do Governo do Estado foram fundamentais para a instalação da fábrica em Dourados. “Encontramos todo o apoio do governador e dos secretários”, afirmou. Com as esmagadoras de Dourados, a cooperativa soma 10 indústrias espalhadas pelo Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. Toda produção desses locais segue para o sudoeste do Brasil e para o mercado europeu.

Também participaram da solenidade que marcou o início das operações da indústria o vice-governador Murilo Zauith, que também é secretário estadual de Infraestrutura; o senador Nelsinho Trad, os secretários estaduais Eduardo Riedel (Governo e Gestão Estratégica), Jaime Verruck (Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Roberto Hashioka (Administração) e Geraldo Resende (Saúde); a prefeita de Dourados, Délia Razuk; e os deputados estaduais Barbosinha e Renato Câmara.