Sem definição sobre calendário escolar, psicóloga diz que famílias precisam se reinventar

Com a suspensão das aulas nas escolas públicas e particulares em todo o Distrito Federal até 05 de abril e a declaração de calamidade pública no Brasil, ainda não é possível saber como ficará o ano letivo escolar em 2020.

Na rede privada, cada escola pode apresentar um plano diferente para repor as aulas ou até mesmo usar meios online para continuar o aprendizado, mas dentro de casa.

O presidente do Sindicato das Escolas Particulares, Álvaro Domingues, explica que em estado de calamidade pública cabe as autoridades decidirem os parametros que os colégios devem adotar. Portanto, agora é preciso esperar.

Plataformas digitais foi a solução que a escola da Manuela Valença, de 11 anos, escolheu. Uma alternativa para continuar o vínculo com aluno.

A mãe, Daniella valença, conta que não só os pais, mas próprias crianças receberam o comunicado que o período de estudo seria continuado em casa.

Enquanto o cenário ainda é incerto, a psicóloga infantil, Adriana Amaral, diz diz que as famílias precisam se reinventar, mudar os hábitos e aproveitar para curtir esses dias juntos.

O primeiro passo é conversar com as crianças e deixar claro o porquê do isolamento social.

Para que os pequenos entendam que apesar do tempo livre não estão em férias. Ela também dá algumas dicas para não deixar a criança no sem fazer nada.

Na rede pública de ensino foram antecipadas as férias do mês de junho. Mas ainda não está definido como ficará o calendário escolar para esses alunos depois do fim do período de férias antecipado.

Até o momento, o que sabe é que as aulas estão suspensas até o dia 5 de abril.

Com produção de Michele Moreira.