O Grupo Globo e Folha de São Paulo anunciaram, nesta segunda-feira (25), que não irão mais cobrir as falas do presidente Jair Bolsonaro em frente ao Palácio do Alvorada. O motivo seria a insegurança por conta da presença de apoiadores do presidente, no local conhecido como ”cercadinho do Alvorada”.

Em relação à Globo, a suspensão da cobertura engloba jornalistas e cinegrafistas da TV Globo e do G1. O Grupo diz que os profissionais encontrarão maneiras mais seguras de reportar os fatos que ocorrem ali, sem prejuízo ao público.

“A falta de segurança para seus jornalistas na saída do Palácio da Alvorada fez o Grupo Globo decidir que seus profissionais não mais farão plantão naquele lugar. Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que são levados a ficar lado a lado com os jornalistas, apenas com uma grade entre os dois grupos, têm insultado de forma cada vez mais agressiva os profissionais de imprensa, de todos os veículos, que estão ali trabalhando”, diz a nota da Globo.

A Folha de São Paulo divulgou anúncio semelhante e assim como a Globo enviou nota para o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, General Heleno.

O caso mais recente de afronta ao trabalho da imprensa ocorreu na manhã desta segunda, onde uma mulher apoiadora do presidente ultrapassou os limites do espaço reservado a eles e fez ameaças contra os profissionais.

“Ó o lixo, ó o lixo, ó o lixo. Escória! Lixos! Ratos! Ratazanas! Bolsonaro até 2050! Imprensa podre’’, esbravejou a manifestante.

Fonte: TopMídiaNews