Defesa de pai que matou filho entra com recurso e tenta diminuir culpa do assassino

A defesa de Evaldo Christyan Dias Zenteno, 21 anos, pai que matou o filho Miguel Henrique dos Reis Zenteno afogado em uma bacia de água, no dia 18 de setembro de 2019, entrou com Razões de Recurso em Sentindo Estrito, na tentativa de reformar os crimes cometidos pelo réu, apontados no processo.

Em outras palavras, quer que ele pague por um crime a menos. No pedido, a defesa pede que seja afastado dos autos o recurso que dificultou a defesa da vítima, o que significa dizer, por alto, que a criança tinha oportunidade de se defender.

“Nobres julgadores, a defesa postula ainda o afastamento da qualificadora do recurso que dificultou a defesa da vítima, prevista respectivamente do art.121, §2.º, IV, do Código Penal, no que toca a imputação do delito consumado e que teria se passado no dia 19.09.2019”.

O júri popular de Evaldo pode ser marcado para a segunda quinzena de junho deste ano, caso a pandemia do coronavírus tenha cessado.

* As informações são do TopMídiaNews