Mulher é condenada por xingar vereador de Miranda de “filho de biscate”

Processada por desacato, Simone Cistina Literieli tentou recorrer da pena de dois meses, em regime aberto, e que poderia ser substituída por prestação de serviços comunitários. Ela foi condenada por xingar o vereador  Giorgio Bruno Maia Cordella, da Câmara de Miranda, de drogado.

A mulher alegou que não havia provas suficientes para a condenação. Porém, o Ministério Público, que denunciou o desacato, solicitou o improvimento do recurso, que foi acatado pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

A ocorrência

Conforme o TJMS (Tribunal de Justiça de MS), no dia 1 de janeiro de 2017,  Simone xingou e proferiu ofensas ao vereador Giorgio Bruno Maia Cordella, por não concordar com a posse dele e composição na Mesa Diretora da Casa de Leis. A solenidade de posse dos vereadores estava acontecendo no restaurante do Hotel Querência Pantaneira, quando ela gritou na frente de todos: “traidor, drogado, filho de biscate”.

Após o ocorrido, o vereador procurou a Delegacia, onde registrou a ocorrência. Ele disse que ficou constrangido por ser uma solenidade de posse e ter dezenas de pessoas no ambiente. “Estava no restaurante Querência pantaneira, situado na BR-262, onde realizava-se a solenidade de posse dos vereadores desta cidade, quando fui injuriado, caluniado e difamado perante o público presente pela Simone Cristina”.

O fato foi comprovado por material audiovisual e por testemunhas. Segundo o processo, Simone se manteve em silêncio durante a fase inquisitorial e não compareceu em juízo para ser interrogada e apresentar defesa.

Dessa maneira, após a condenação, a ré entrou com recurso, mas o TJMS não acatou e a sentença continua.

Fonte: TopMídiaNews