Uma história de fé, amor e superação

Valdinei e Daniele Pacini formaram uma grande família, com uma linda história marcada pelo amor e determinação. Com seis filhos, Vinicius (in memorian), Daniel, Lucas Guilherme, Giovana, Gabriella e João Vitor, sendo dois biológicos e quatro acolhidos pelo coração.
Após cinco abortos espontâneos, decidiram adotar Daniel e após sete meses foram surpreendidos com a notícia que Vinicius estava a caminho, porém o perderam quando tinha apenas 9 meses de vida. Passados pouco mais de dois anos, a alegria que tomou conta do casal com a chegada do pequeno Lucas logo deu lugar a apreensão diante do diagnóstico médico de que o garoto era portador de Mielomeningocele ou espinha bifede, mesma patologia que ceifou a vida de seu irmão. Os médicos deram poucas chances de vida à criança, que com apenas 12 horas de vida já enfrentava a primeira das 17 cirurgias para alongamento dos tendões e na coluna que estavam por vir, até os quatro anos. Mais uma batalha estava por vir quando encontram um tumor na medula inferior, diante do quadro grave, mais uma expectativa negativa, os médicos deram a Lucas dois meses de vida.


Contrariando as perspectivas, a família que residia em Aquidauana, iniciou uma jornada e após um ano de tratamento na UERJ, no Rio de janeiro, Lucas retornou à Princesa do Sul, ele havia vencido o tumor.
O que seria uma vida de limitações, se transformou em uma história de superação. Uma maratona com campanhas e a ajuda de amigos foram necessárias para levantar os recursos para os procedimentos. Não foram poucas, porém a cada desafio, a fé, a solidariedade e o amor ao próximo eram externados com gestos, abraços, palavras e investimentos de pessoas próximas, mas também de muitos que nunca haviam se visto e se solidarizavam com a história de Lucas.
Rompendo desafios dia após dia, a família se mudou para Campo Grande em 2008 e após concluir o ensino médio, Lucas ingressou na UFMS em 2011 para cursar engenharia de produção e começou a trabalhar em uma multinacional, porém impulsionado pela doença do irmão mais velho, Daniel Augusto, hoje com 29 anos que é Autista e tem síndrome do Coheem, o coração de Lucas pulsava pela medicina e pelo desejo de fazer algo mais, e investir o conhecimento a ser adquirido no bem mais precioso que existe, o ser humano. Em 2013, deixou o emprego e mergulhou durante um ano e meio em cursinhos e em 2015 uma nova história tem início, Lucas foi aprovado na UNIDERP para cursar medicina. Questionado pelos professores como que faria o curso, a resposta do acadêmico foi a de que ainda não sabia, mas que descobriria tentando. A cada dia superando seus limites e injetando determinação para vencê-los, os problemas foram um a um sendo dissipados. “O Lucas sempre foi um menino feliz e muito esforçado pra os estudos, sempre o desafiamos e acreditamos que ele poderia chegar aonde seu coração desejasse”, disse Daniele Pacini.
Com a formatura programada para novembro, Lucas volta para Aquidauana, agora não como paciente e sim à serviço do Hospital Regional onde está concluindo seu estágio. “É bom voltar e rever alguns amigos depois de 12 anos longe”.
Questionado sobre a receptividade dos pacientes, Lucas relata que é bem recebido e que sempre que necessário a realização de exame físico, os próprios pacientes colaboram, “isso é bem legal e muito importante”, relatou.

O futuro Dr. Lucas ressalta a importância do apoio que recebeu dos pais, dos familiares, amigos e dos mestres para que pudesse concluir o curso e superar todos os obstáculos que a vida lhe impôs, reconhecendo que serviram como um impulsionador para alçar vôos mais altos e fazer a diferença por onde passou.
A história de Lucas nos remete que não existe limites quando há fé, amor, dedicação e empenho e que os obstáculos existem, mas para serem superados e mostrar aos que pararam diante deles que sim, é possível.
Lucas ratifica a importância dos seus mestres, “quero agradecer e não poderia de mencionar o apoio e incentivo dos meus professores Dra Luciene, Dr Alexandre Cury, Dr Ari Miotto, Dra Sandra, Dra Hemilene, Dr Leandro, Dra Ariane, prof Socorro, Dra Dorothy e muitos outros, além dos meus amigos Sidney, Jéssica, Leonardo, Dr Dermival e também dos que passaram durante a minha vida e sempre me apoiaram, todos foram essenciais pra que tudo acontecesse da melhor maneira possível”, finalizou Lucas.