Delegada titular da DAM, Joilce Silveira Ramos, responsável pelo caso (Foto: Vinicius Eduardo/JNEDiário)

A Delegacia da Mulher em Aquidauana prendeu nesta terça-feira (07) preventivamente mãe e filho, indígenas da Aldeia Lagoinha, em Aquidauana, por estupro de vulnerável. O homem, de 41 anos, abusou da prima pequena durante quase três anos! Desde os 8 anos até os 10, com o consentimento da mãe, 61, que é tia da vítima.

De acordo com a Polícia Civil, em 2017 a mãe da menina ficou doente e fazia hemodiálise 3 vezes por semana, o que obrigava a criança a realizar afazeres domésticos, inclusive almoço e jantar.

Infelizmente a mulher faleceu e a vítima passou a morar com a tia, na aldeia Lagoinha, onde o primo passou a realizar abusos sexuais, a tia que é mãe do autor, tinha conhecimento e ainda ameaça a criança caso ela contasse para alguém.

Os abusos eram tão cruéis, que em dezembro de 2019, a menina chegou a sangrar, sendo levada pela parente para atendimento médico, onde o profissional constatou de cara o estupro. A menina, pediu para falar em particular com o “tio médico” e contou alguns detalhes das barbaridades que ocorria na casa da tia.

De imediato foi acionado o Conselho Tutelar que na mesma hora retirou a criança dos dois estupradores, a levou para morar com um irmão, e denunciou o caso a DAM – Delegacia da Mulher de Aquidauana, que também cuida de fatos envolvendo crianças, adolescentes e idosos. O CREAS, da Prefeitura de Aquidauana, também entrou no caso, auxiliando a vítima com atendimento psicológico.

A delegada titular, Joilce Silveira Ramos, após receber relatório do Creas, representou pela prisão preventiva de tia e primo, sendo deferida pela Justiça, sendo cumprida nesta terça, após um bom tempo atrás do autor do estupro. A autoridade policial alerta que, a exemplo desta tia, quem comete crime por omissão também é passível de prisão, principalmente se for criança e idoso e, se quem omitiu for a pessoa responsável, por eles.

A delegada ainda pontuou que agora a menina está bem, residindo com o irmão e sendo acompanhada com atendimento psicológico por equipe do CREAS.

Parte da equipe da Delegacia da Mulher em Aquidauana, que vem atuando incansavelmente para garantir os direitos de mulheres, crianças, adolescentes e idosos