Aquidauana possui um rico fruto do cerrado com potencial gigantesco para a produção sustentável de gêneros alimentícios saborosos e produtos à base da bocaiuva. A bocaiuva é um fruto comum no município e na região e que tem despertado paladares e ganhado mercado à fora.Para tratar sobre a implantação de uma fábrica com uso sustentável da bocaiuva, durante a manhã de hoje, 15, o prefeito Odilon Ribeiro e a vice-prefeita Selma Suleiman se reuniram com secretários municipais, o artesão Lourival Santos e o Prof. Dr. Flávio Aristone.

A reunião aconteceu no prédio da Escola Antônio Corrêa (Modelo).O Prof. Dr. Flávio Aristone é físico, é do Instituto de Física da UFMS/Campo Grande e pesquisador na área de uso sustentável da bocaiuva para produção e geração de renda na região do Pantanal de Mato Grosso do Sul e explanou, na reunião, sobre a viabilidade comercial e industrial da bocaiuva no município de Aquidauana.A iniciativa de uma fábrica com uso sustentável da bocaiuva em Aquidauana, possibilitará empregos, pois a população poderá colher bocaiuva (sem cortar os cachos, somente o que caiu ao chão) e, também, colher sementes secas de manga para venderem.

O prefeito Odilon Ribeiro solicitou às Secretarias Municipais de Produção, Assistência Social e Cultura e Turismo que junto com o professor Dr. Flávio Aristone e o Sr. Lourival Santos e parceiros organizem um plano de trabalho para viabilizar a implantação da fábrica de uso sustentável da bocaiuva em Aquidauana.”Estamos entusiasmados com a possibilidade de gerar renda para população com o uso sustentável da bocaiuva.Temos bocaiuva nos quatro cantos da cidade, aldeias, distritos e fazendas da região.

A Prefeitura de Aquidauana vai montar um plano de trabalho, vamos fomentar a população na coleta sustentável desse fruto, pra vender e as famílias coletadoras ganharem seu dinheiro, aumentarem sua renda de forma sustentável e sem prejudicar a natureza”, completou o prefeito.Os frutos secos são comprados e utilizados por industrias de cimento para acendimento e combustão nos fornos. Da castanha da bocaiuva é possível extrair um óleo, semelhante ao de oliva, com nutrientes excelentes na culinária.Já a polpa da bocaiuva é utilizada para farinha e inúmeras delícias gastronômicas. Só em 2019, segundo o produtor de farinha Lourival Santos, foram comercializadas cerca de 15 toneladas de farinha de bocaiuva, de Aquidauana abastecendo cidades vizinhas, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

A vice-prefeita Selma Suleiman, que tem ao logo dos anos tem acompanhado de perto o projeto da bocaiuva em Aquidauana, também solicitou às Secretarias Municipais de Produção e Cultura e Turismo estudos para a inserção dos produtos à base de bocaiuva no comércio local.”De Aquidauana sai a farinha de bocaiuva que é utilizada para geléias, sorvetes e outros produtos feitos fora do Estado de MS. Precisamos trazer essas ideias de produtos a nossa cidade, para a nossa realidade. Isso é renda, produção e turismo gastronômico”, completou a vice Selma.”Já temos indústria interessada em comprar 10 toneladas de bocaiuva em Aquidauana. É renda e emprego batendo na porta de Aquidauana. Ficamos felizes em saber que a Administração Municipal acredita nesse potencial do fruto na cidade e irá montar um plano de trabalho para viabilizar a implantação da fábrica”, afirmou Flávio Aristone.

ESPAÇO PARA O PROJETO

O prédio da Escola Antônio Corrêa tem sido utilizado pela Prefeitura de Aquidauana. Nesta manhã, o prefeito Odilon Ribeiro e a vice-prefeita Selma Suleiman, entregaram a chave de uma sala do prédio, que está sendo preparada e organizada e será cedida ao Sr. Lourival Santos para instalar ali um local de atendimento e beneficiamento da bocaiuva, no centro da cidade, facilitando o acesso para quem quiser comercializar a farinha e até mesmo conhecer mais sobre o projeto da bocaiuva de Aquidauana.

O pátio da escola também servirá de local para armazenamento dos sacos de bocaiuva a serem beneficiadas e comercializadas.
Fonte: Agecom