Nesta sexta-feira (14), o Governo do Estado encaminhou aos municípios os relatórios situacionais da 32ª semana epidemiológica do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), com atualização do grau de risco das 79 cidades do estado, após aprovação dos membros do Comitê Gestor do Programa. Os resultados também foram apresentados na live de acompanhamento do coronavírus de hoje.

Nesse novo relatório, Aquidauana saiu da classificação de grau extremo e retorna para o grau alto, após realizar o lockdown. “A cidade saiu do grau extremo, mas ainda continua alta a incidência e contaminação pela Covid-19. Não podemos baixar a guardar, precisamos da colaboração da comunidade aumentando a prevenção e evitando, sempre que possível, sair de casa sem necessidade e não realizarem aglomerações. Estamos em alerta e na luta pra salvar vidas e diminuir a contaminação”, afirmou o prefeito Odilon Ribeiro.

A decisão de lockdown foi decretada pela Prefeitura de Aquidauana embasada nos estudos epidemiológicos das autoridades sanitárias e de saúde do município e do Governo do Estado, relatórios dos pesquisadores universitários, levantamentos das redes hospitalares pública e privada no município e em discussão com o Controle Sanitário do Estado e as forças de segurança do Estado.

O lockdown foi adotado, mantendo em funcionamento os serviços essenciais e com várias restrições de horários e toque de recolher mais extenso. As medidas não agradaram uma parte dos comerciantes e empresários da cidade, outra parcela foi favorável e a maioria da população também ajudou no cumprimento das medidas, em aprovação ao lockdown.

A situação ainda não está confortável para o município, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel destacou que a administração deve focar nas 21 cidades que ainda são consideradas de alto risco, dentre elas, Aquidauana. “Se os municípios melhoraram, foi porque enxergaram no Prosseguir alguns indicadores que precisavam ser trabalhados, e esse era o nosso objetivo. Mas isso não significa que podemos relaxar: o fato de termos 21 cidades na faixa de risco alto (vermelho) nos deixa em alerta e o desafio é justamente atuarmos nas recomendações para essas cidades”, explicou Ridel.

O Governo do Estado, para classificar as cidades no programa Prosseguir avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com estado que tenha aumento de casos.