Mato Grosso do Sul ocupa há cinco semanas consecutivas o primeiro lugar do Índice da Transparência da Covid-19, do Instituto Open Knowledge Brasil (OKBR), que avalia a qualidade dos dados e informações publicados em portais oficiais relativos ao Coronavírus. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), investiu mais de R$ 1 milhão em tecnologia e inovação que oportunizou à população acesso a resultados de testes por SMS, e-mails ou site, até doações de equipamentos e materiais destinados ao combate à Covid-19.

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, isto demostra o empenho da equipe da Secretaria em ações ao combate a propagação do vírus no Estado. “Isto é muito importante para o Mato Grosso do Sul, essa colocação foi uma construção de uma equipe, principalmente, neste novo momento em que vivemos. O Governo do Estado, por meio da SES, impõe a construção de uma saúde de qualidade. A tecnologia de informação dá o acesso ao cidadão às informações mais transparentes, com disponibilização de todos os dados e isto faz parte do enfrentamento da Covid-19”.

Resende destaca ainda que “quanto mais informações nós fornecemos, mais nós vamos dar instrumento à população para que possa se prevenir e seguir aquilo que é recomendável junto às autoridades de saúde. E isto é uma conquista coletiva, que quero repartir com todos membros da nossa equipe, demostra que a equipe está sintonizada com aquilo que o Governo do Estado e o secretário esperam”.

Com o advento da pandemia, o coordenador de Tecnologia da Informação da SES, Marcos Espíndola de Freitas, explica que a equipe teve por determinação do secretário Geraldo Resende, de encontrar sistemas para criar produtos que atendessem a demanda e garantindo assim qualidade, eficiência e transparência nos resultados.

“Diante de uma nova situação, nos empenhamos em desenvolver ações que dessem resultados em um curto espaço de tempo. A nossa equipe trabalhou finais de semana, por muitas vezes, de madrugada, para que pudéssemos ter um produto de excelência. E isso foi muito significativo e satisfatório para nós”, avalia Marcos.

Em operação desde março, o Portal do Coronavírus, na aba ‘Informações COVID-19’, reúne todos os produtos criados pela SES que se tornaram ferramentas importantes na vida de milhares de sul-mato-grossenses. É possível ter acesso ao Boletim Epidemiológico diário divulgado, inclusive, pela live na página oficial do Governo do Estado. Um QR Code permite que as pessoas sejam direcionadas ao Portal para conferir os microdados sobre a evolução da doença no Estado.

Produtos de excelências criados

Conforme Marcos Espíndola, um dos principais produtos desenvolvidos pela equipe da SES foi quanto ao acesso aos resultados dos testes, rápidos ou RT-PCR. “Criamos uma infraestrutura computacional com softwares e de logística que foram espalhadas em algumas cidades do Estado. O serviço de testagem foi permeado por meio de um suporte tecnológico que prevê desde o agendamento dos testes a emissão dos resultados via e-mail, SMS ou pode ser consultado no site do Coronavírus”.

Marcos pontua que, caso o cidadão não receba o resultado do exame, “temos um Help Desk, com telefones e contatos, onde a pessoa pode entrar em contato para fazer a solicitação. O suporte corrige o problema e emite o resultado”.

Outra ferramenta de inteligência criada pela equipe da SES foi quanto a gestão de leitos, algo que não existia antes da pandemia no Estado. “Desenvolvemos essa aplicação para mensurar a oferta de leitos. O Covid Hospitalar reúne instituições públicas e privadas, cerca de 100 estabelecimentos, nos informam sobre a disponibilidade de ocupação de leitos. Por meio deste sistema, sabemos qual é a situação dos municípios”.

Associado ao painel foi desenvolvido outro sistema em que é possível saber como está o nível de estoque dos hospitais quanto aos Equipamento de Proteção Individual (EPIs). “O sistema é alimentado e isto auxilia a Secretaria, por exemplo, em uma situação emergencial remanejar materiais de uma instituição pública para outra, a fim de suprir a demanda”, explica o coordenador.

No painel ainda é possível verificar a evolução do vírus por meio do sistema bayway – que gerencia diversos recursos de informações. A Infraestrutura tecnológica também é utilizada nos principais pontos de apoio nos quatro municípios em que atuam o Disk Covid. Em Campo Grande há uso de tecnologia na UPA Coronel Antonino, UPA Coophavilla II e na E.E. Lúcia Martins Coelho. O Laboratório Central de Saúde Pública de MS (Lacen-MS) utiliza impressoras de alta precisão e com códigos de barras e insumos. O Hospital Regional, centro de referência no Estado, utiliza os equipamentos da SES, como: notebooks, tablets, impressoras e estrutura de comunicação. O Hospital de Campanha usou de tecnologia da SES, desde o cabeamento de redes, ampliação de link a impressoras e computadores.

“Estima-se, com investimentos próprios e por meio de outros contratos, nestes seis meses, que o aporte tenha sido em torno de R$ 1 milhão, com locações, suprimentos e atendimento técnico, sendo um desafio enorme para a Secretaria de Estado de Saúde”, diz Marcos.

O painel ainda reúne informações quanto as notificações por meio das Cartilhas que mostram dados mais específicos utilizados para uso dos municípios sobre a Covid-19. Há ainda informações reunidas quanto a legislação, orientações, recomendações, incluindo ainda, notas técnicas, protocolos e resoluções. “Tudo disponível no painel de forma transparente”, afirma Marcos.

Transparência

Todas as iniciativas contribuíram para que o Estado ficasse em primeiro lugar no Índice de Transparência da Covid-19 da Open Knowledge Brasil (OKBR). Segundo o Instituto, a medida em que a transparência das informações de cada ente corresponde a critérios, mais ela contribuirá para agilizar o trabalho interno aos órgãos públicos e facilitar o envolvimento de outros setores da sociedade para construir soluções em conjunto com o poder público. Mato Grosso do Sul está bem colocado com máxima de 100 pontos.

A primeira versão do Índice da Transparência da Covid-19 foi lançada em 3 de abril de 2020 e recebeu atualizações semanais até o dia 12 de junho. Após a consolidação dos resultados desse processo, no dia 10 de julho, foi lançado o Índice de Transparência da Covid-19 (2.0), um instrumento de avaliação ainda mais robusto, aplicado a capitais, estados e governo federal. A coleta de dados passa a ser quinzenal e os resultados da avaliação são atualizados semanalmente, alternando estados e capitais.

Rodson Lima, SES

Foto: Divulgação