Após ser chamado de ‘corno’, policial que matou esposa e amante bate em colega no presídio

Preso por matar a esposa e um homem que foi apontado como amante da mulher, Lúcio Roberto Queiroz Silva, 37 anos, se envolveu em uma confusão dentro do PME (Presídio Militar do Estado). No dia 11 de outubro, ele jogava futebol, quando começou um desentendimento com o policial Rafael Leguiça Flores, 31 anos.

De acordo depoimento prestado na Corregedoria da PM, Lúcio disse que foi provocado durante a partida de futebol. Ele afirma que foi chamado de ‘corno’ diversas vezes pelo colega, além de outros xingamentos.

Ele contou que partiu para cima de Rafael e os dois foram separados por outros colegas. Ele afirma que sempre é provocado por Rafael, mas que jamais teria revidado. Lúcio disse que depois que os colegas separaram a briga, ele voltou para tirar satisfações com Rafael.

Já Rafael disse que, durante o jogo, foi chamado de ‘ladrão’. Ele disse que xingou Lúcio com palavras de baixo calão, mas que não se recorda ter chamado ele de ‘corno’.

Flores alega que Lúcio estava com um cabo de vassoura na mão. Ele foi atingido no cotovelo e na mão esquerda.

Lúcio passou por audiência de custódia nesta quarta-feira (14), no Fórum de Campo Grande.

Fonte: TopMídiaNews