Ilustrativa

Com calendário escolar preparado para o ano letivo de 2021, os alunos e professores terão ano diferente dos anteriores. Isso porque a SED (Secretaria Estadual de Educação) prevê que a educação será híbrida, ou seja, presencial e remota, com alunos podendo estar em sala de aula a partir de março.

Apesar de tudo ‘esquematizado’ para o retorno dos estudantes, a secretaria ainda aguarda em como estará o cenário da pandemia até o próximo mês. Conforme explicou em live nesta segunda-feira (1), o superintendente de Políticas Educacionais, Hélio Queiroz, tudo poderá depender de um aval da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

“Está previsto [aulas presenciais] no início de março, mas se a Saúde entender que não é possível, vamos acatar”, explicou Hélio. As aulas nas escolas estaduais devem retornar nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, de maneira remota.

A secretária Maria Cecilia Mota, explicou que o mês de fevereiro será de preparação aos servidores, onde serão orientados sobre o ensino ‘diferente’ neste ano.

O ensino remoto na rede estadual prevê que 50% dos alunos estarão estudando em casa e 50%, nas salas de aula. Desta forma, revezando a cada semana. Os pais e responsáveis poderão optar por se estudantes farão o revezamento ou não.

Calendário escolar
O calendário escolar de 2021 prevê 200 dias letivos, bem como quatro dias para a realização de exames finais e um dia para o Conselho de Classe final.

A programação ainda conta com sábados letivos, bem como 15 dias de férias escolares entre os dias 2 e 16 de julho. As aulas estão marcadas para terminar no dia 10 de dezembro de 2021. Os exames finais serão realizados entre 13 e 16 de dezembro.
Conforme artigo do calendário, a data de início das atividades não poderá ser alterada. Segundo resultados preliminares do Censo Escolar de 2020, elaborado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), a rede estadual de ensino tem 204 mil estudantes.

(Fonte: Midiamax)