O deputado estadual Jamilson Name, sem partido, já está de tornozeleira eletrônica, após decisão judicial que obrigou o monitoramento dele, em Campo Grande. Ele se tornou réu por organização criminosa, lavagem de capitais e exploração do jogo do bicho. O parlamentar foi oficiado sobre a colocação da tornozeleira nesta terça-feira (2). As informações são do TopMídiaNews.

A decisão inicial do juiz Roberto Ferreira Filho, da 1ª Vara Criminal de Campo Grande, foi para que a Assembleia Legislativa de MS decidisse se Name usaria ou não o acessório, para que o monitoramento não prejudique a atuação dele no parlamento.

No entanto, após manifestação do Ministério Público Estadual, o magistrado entendeu que o monitoramento não causaria danos ao trabalho legislativo de Jamilson e havia determinado, na sexta-feira (30), o monitoramento imediato do réu.

Na tarde desta terça-feira (2), Name informou areportagem do site de notícias TopMídiaNews que confia na Justiça, que vai provar sua inocência e acredita que o plenário da Assembleia vai deliberar para derrubar as medidas cautelares impostas pela Justiça.

Jamilson também está proibido de manter contato com dezenas de investigados, réus ou envolvidos na Operação Omertà, sendo um deles o tio, Jerson Domingos, que é conselheiro do Tribunal de Contas. No entanto, obteve autorização para conversar com a madrasta, Tereza Name, e um assessor parlamentar.