Com o caixa apertado, o governo estuda um novo programa social, o BIP  (Bônus de Inclusão Produtiva), que  seria pago em 3 parcelas de R$ 200. Não se sabe ainda qual seria o número de beneficiados. No caso dos jovens atendidos, haveria uma contrapartida em que eles teriam que fazer cursos nas empresas, o que o ministro da Economia, Paulo Guedes, chama de “on the job training”, ou treinamento no trabalho.

Fontes explicaram que as empresas “não teriam custos, nem encargos para treinar jovens que receberia auxílio BIP de R$ 200 reais.”

O governo afirma não ter dinheiro para pagar os R$ 600 reais do primeiro auxílio emergencial. A equipe econômica também associa o BIP a medidas que entrariam na PEC do Pacto Federativo, ainda em discussão no Congresso.

(Fonte: R7)