Em janeiro de 2021, os cartórios de Mato Grosso do Sul registraram  3.582 nascimentos, 7,44% menor em relação a igual período do ano passado. Em todo o País, a queda foi de 15,1% no mês subsequente após período normal de gestação, que coincidiu com as restrições impostas pela covid-19.

Os dados foram divulgados pela Arpen/MS (Associação dos  Registradores de Pessoas Naturais de MS) e constam no portal da transparência do registro civil.

Conforme os registros, essa queda é feita com base nos 3.870 registros feitos em janeiro de 2020. O número atual é ainda quase 9 pontos percentuais menor que a média histórica nacional do mês de janeiro desde 2002, que é de 1,39% ao ano.

No Brasil, a queda de 15,1% refere-se aos 207.901 nascimentos em janeiro de 2021 frente a 244.974 ocorridos no mesmo mês do ano anterior. Em âmbito nacional, a média histórica de variação do mês de janeiro também é de 0% ao ano, a mesma porcentagem de variação quando analisados os números do período anual.

O presidente da Arpen/MS, Marcus Roza avaliou que a queda é impacto direto com a pandemia da covid no Brasil, já que as restrições começaram a partir de março de 2020. “A queda da natalidade, registrada na maioria dos Estados brasileiros, é mais uma consequência do vírus, que alterou drasticamente a forma de nos relacionarmos e de como fazemos planos para o futuro”, disse.

A variação da média anual ainda deve ser alterada, uma vez que os prazos para registros chegam a prever um intervalo de até 15 dias entre o nascimento e o lançamento do registro no Portal da Transparência. Além disso, alguns estados brasileiros expandiram o prazo legal para comunicação de registros em razão da situação de emergência causada pela covid-19.

(Fonte: Campo Grande News)