Às vésperas do Carnaval, o governo do estado divulgou o novo mapa do Programa de Saúde e Segurança na Economia (Prosseguir) com um município na bandeira cinza, 29 na vermelha, 44 na faixa laranja e cinco na amarela. O panorama da 5ª semana epidemiológica apresentou melhora do grau de risco de 30 cidades, piora de 14 enquanto 35 permaneceram na mesma faixa.

Os indicadores que atualizam o grau de risco dos 79 municípios do programa foram aferidos de 31/01 a 06/02/2021 com recomendações válidas até 20 de fevereiro. Os relatórios com o grau de risco atualizado e sugestão de medidas já estão sendo encaminhados a todos os prefeitos.

Mapa Situacional

O novo mapa situacional das quatro macrorregiões de Saúde (Corumbá, Campo Grande, Três Lagoas e Dourados) apresenta cinco municípios na bandeira amarela, com grau de risco tolerável: Coxim, Jaraguari, Paraíso das Águas, Ribas do Rio Pardo e Rochedo, apenas um na faixa de risco extremo (bandeira cinza), que é o município de Coronel Sapucaia, e nenhuma cidade na bandeira verde que indica baixo risco de contágio.

Aquidauana e Anastácio estão classificados na bandeira laranja, que representa grau médio de contágio.

Para gerar essa classificação, o programa avalia indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, necessidade de expansão de leitos e situação de fronteira com país ou divisa com Estado que tenha aumento de casos.

Os mapas situacionais atualizados, recomendações para os municípios e a distribuição das atividades econômicas por faixa de risco, estão disponíveis no site www.coronavirus.ms.gov.br (link prosseguir).

Sobre o Prosseguir – Programa do Governo Estadual que classifica os municípios em faixas de cores, de acordo com o grau de risco que cada cidade apresenta (de baixo a extremo), traz recomendações de medidas no âmbito da Saúde Pública, de Serviços Públicos e do Social a fim de nortear agentes da sociedade, principalmente entes públicos, a tomarem suas decisões e tornarem suas ações mais eficientes no combate à propagação e aos impactos da Covid-19.