A diretoria da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) decidiu nesta terça-feira (6) congelar as tarifas aplicadas pela distribuidora Energisa Mato Grosso do Sul. Com isso, o reajuste anual tarifário que deveria ser cobrado na quinta-feira (8) ainda não será aplicado.

A Energisa MS disse em nota que a decisão da Aneel foi acertada e que busca formas de mitigar a pressão tarifária.

Em 2020, a concessionária aplicou reajuste de 6,9% em 1° de julho e por conta da prorrogação da data recebeu o valor de R$ 42 milhões como compensação pelo valor que deixou de arrecadar.

Conforme a Aneel, a decisão de hoje também vale para as distribuidoras Energisa Mato Grosso e CPFL Paulista. A Agência diz que ainda estuda meios para conter reajustas em período de pandemia.

Segundo publicado pelo site Valor Econômico, o diretor-geral da agência, André Pepitone, ressaltou que dentro de duas semanas o remanejamento de custos será definido. Pepitone informou que a postergação de prazo para fazer valer as novas tarifas foi acertada com a diretoria das concessionárias envolvidas.

Confira a nota na íntegra:

Nota Energisa

A postergação de prazo para definição do reajuste das tarifas de energia elétrica anunciada nesta terça-feira pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é uma medida acertada pois propiciará mais tempo para que o setor elétrico busque, em parceria com o Governo, Regulador e agentes, formas de mitigar a pressão tarifária. 

Como destacado na reunião da Aneel, existe um grande esforço do setor elétrico brasileiro em busca de medidas para minimizar os impactos nas contas de luz, neste momento marcado pelo aumento da pandemia. Essa mobilização envolve órgãos governamentais (Aneel, Ministério das Minas e Energia), associações das distribuidoras e das transmissoras.

Fonte: TopMídiaNews