Dayane Claudino Miranda Marcos, presa na última quinta-feira (18), acusada de mandar o próprio pai, Paulo Sergio de Freitas Miranda, de 57 anos em Naviraí, ainda se despediu do familiar nas redes sociais.

Com diversas fotos sendo publicadas no Facebook, a filha escreveu “Luto pai! Quero lembrar de vc assim, que Deus te dê o descanso eterno”.

A publicação aconteceu no dia 26 de setembro deste ano, dias após o assassinato do produtor rural. A publicação, inclusive, rendeu muitos comentários e apoio de amigos e conhecidos.

O homicídio aconteceu no dia 23 de setembro, na propriedade rural de Paulo Sergio.

As investigações começaram após o assassinato de Paulo Sergio. No dia seguinte do ocorrido, os investigadores apuravam um possível envolvimento da filha e do genro da vítima, além de um primo do acusado.

As informações preliminares, apontavam que a acusada não tinha vínculo com o pai, devido a um desentendimento familiar sobre um suposto abuso, que segue sendo apurado pela Polícia Civil do Paraná.

O Plano

Após as investigações, ficou esclarecido que o crime foi minuciosamente planejado, sendo que o primo do genro da vítima teria procurado o pistoleiro e oferecido o valor de R$ 20 mil para cada um pelo crime e que os alvos do crime seriam Paulo Sérgio e sua esposa.

No dia 21 de setembro, o primo do genro da vítima trouxe os dois pistoleiros até a cidade de Naviraí que, segundo um dos pistoleiros, seria o dia em que o crime iria acontecer e quem iria dar fuga a ele seria o próprio primo, mas devido ao imprevisto dos pistoleiros terem a motocicleta apreendida pela PRF no estado PR, eles foram apenas deixados na cidade de Naviraí.

Já na cidade de Naviraí foi realizado contato com uma quarta pessoa, responsável em dar fuga aos pistoleiros e, para isso, receberia a quantia de R$ 5 mil. Para não levantar suspeitas, todos passaram a noite do dia 22 para o dia 23 (dia do crime) na cidade de Itaquiraí-MS.

No dia dos fatos, os pistoleiros se deslocaram até o município de Naviraí, onde praticaram o crime, apoiados pelo motorista de fuga que os retirou da cidade a bordo de um veículo Astra dourado.

Conforme apurado pela Polícia Civil, os pistoleiros não chegaram a receber pelo crime, sendo que o único pagamento dado pelo assassinato até então foram as armas utilizadas no fato e um veículo CITROEN C5 ano 2001 que está apreendido na delegacia de Palotina (PR).

Fonte: TopMídiaNews