A juíza May Melke Amaral Penteado Siravegna, da 4ª Vara Criminal de Campo Grande, marcou para o dia 10 de março, às 13h30, a audiência do caso de estelionato que implica um garagista acusado de fazer empréstimo de R$ 17 mil com os dados de um cliente.

Conforme denúncia oferecida pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), em 2016, por meio do site da empresa do garagista, um homem simulou o valor de financiamento de um carro Fiat Stilo que tinha para a venda em nome de seu pai.

Ocorre que, dias depois, o Stilo foi negociado com o garagista. Com o passar dos meses, o ex-proprietário do veículo, que teve os dados usados na simulação pelo filho, passou a receber ligações de cobrança. Inicialmente pensou se tratar de engano, em razão da simulação.

Porém as ligações continuaram frequentes, até que a vítima procurou o Procon. Lá, foi informada que havia sido contratado crédito de R$ 17 mil em nome, pelo banco que tinha a parceria para financiamentos com a garagem em questão, o que levantou suspeita.

Foi registrado boletim de ocorrência e aberto inquérito, que constatou as irregularidades. As informações são de que o garagista teria se aproveitado dos dados da simulação e, neste sentido, usado assinatura falsa para celebrar o contrato, sem autorização, em nome do consumidor. Ele negou o crime e disse que algum funcionário pode estar envolvido, porém, sequer foi capaz de apontar quem seu seus funcionários. O caso segue em investigação.

Fonte: Midiamax