No total, 35 policiais penais concluíram o curso, além de mais seis guardas civis municipais de Ponta Porã - Tatyane Santinoni/Agepen

“O aperfeiçoamento profissional constante é a base nesta fase de transição que estamos passando; cada dia é um desafio e vamos enfrentar isso com muita seriedade”, destacou o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), Aud de Oliveira Chaves, durante cerimônia de encerramento do XIII Curso de Armamento e Tiro, Vigilância e Escolta (Cave) – Turma 1.

Realizado pela Escola Penitenciária (Espen), em Campo Grande, a capacitação visa habilitar os servidores para a realização de escoltas de custodiados e vigilância de muralhas, bem como proporcionar conhecimentos e habilidades necessários para o manuseio e porte institucional de armas de fogo. Ao todo, 35 policiais penais concluíram o curso, além de mais seis guardas civis municipais de Ponta Porã.

Capacitação foi realizada pela Escola Penitenciária, em Campo Grande – Tatyane Santinoni/Agepen

Na Agepen há 27 anos, a servidora Elizabeth Dranka revela que as aulas desmistificaram o contato com a arma de fogo. “Tenho intenção de integrar o Grupamento de Ações e Fiscalização Penitenciária (Gafip) e esse curso contribuiu muito para me aperfeiçoar nos trabalhos”, contou a servidora que atua no Polo da Unidade Mista de Monitoramento Virtual de Aquidauana.

Atuando como chefe de Equipe no Estabelecimento Penal “Jair Ferreira de Carvalho”, o policial penal Hernandes Alves da Silva revela que o aprendizado foi extremamente necessário. “O curso é muito didático, os instrutores são de excelência e vai facilitar muito o desenvolvimento das atividades”, afirmou.

As aulas teóricas e práticas totalizam 70 horas e são ministradas pela Espen, com instrutores do Comando de Operações Penitenciárias (Cope). Para a participação, os alunos passam pelo exame Psicotécnico, realizado pelas psicólogas do Núcleo de Apoio ao Servidor.

Além de Campo Grande, o curso já foi promovido em Corumbá, Dourados, Naviraí e Três Lagoas. Dentre os Guardas Civis Municipais de Ponta Porã participantes, Edson Riquelme parabenizou todos os envolvidos na capacitação. “É um ótimo curso, com massificação de todo o conteúdo, nos permitiu um grande entendimento sobre as matérias ofertadas, valeu muito a pena”, reforçou.

Cerimônia de encerramento do curso – Tatyane Santinoni/Agepen

Presente no evento, o diretor-geral da Polícia Penal, Valdimir Ayala Castro, ressaltou o importante papel que as capacitações possuem na assunção das novas atribuições. “É um anseio nosso oferecer cursos constantes e hoje tem sido realizado de forma responsável e eficiente. Estaremos, gradativamente, em vários locais da sociedade, seja em postos de saúde, hospitais, no Fórum e em outros lugares. Hoje já temos grupos especializados, que estão nos representando em cada lugar aqui no estado, e isso é um ganho para todos”, afirmou, parabenizando o desempenho de todos os envolvidos.

A Escola Penitenciária conta com instrutores do próprio quadro da Agepen, profissionais altamente capacitados que atuam no grupo especial que representa força de reação do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul, além do sargento bombeiro Cadário, cedido pela corporação para atuar nas instruções.

Dentre a instituição parceira no desenvolvimento desta edição do curso está o Clube de Tiro Real Hunting. Também participaram da formatura, o diretor da Espen, Vilson Guedes; o comandante do Cope, Richard Dias; além de diretores de unidades penais e servidores. A segunda turma está prevista para o período de 6 a 10 de junho.