Material foi apreendido na casa do suspeito - Divulgação

Preso preventivamente na última segunda-feira (9), em Brasilândia, homem abusava de uma adolescente há sete anos. O crime foi descoberto em janeiro deste ano pela irmã da vítima. Na casa dela foi encontrada uma maleta com 170 DVDs, todos de conteúdo pornográfico.

O registro do crime foi no dia 27 de janeiro deste ano, quando a irmã da adolescente procurou a delegacia e o Conselho Tutelar foi acionado. Na época, a irmã da garota contou que, ao pegar o celular da adolescente, viu mensagens trocadas entre a menina e o autor, nas quais ele a ameaçava.

Ainda segundo informações, a menina teve uma infecção severa e, durante a consulta, foi descoberto o estupro. A vítima contou que era abusada desde os 9 anos pelo homem. O autor sempre ameaçava a menina e a família, caso ela contasse para alguém.

Quando preso, o suspeito confessou também que mantinha fotos de adolescentes em casa. Ainda segundo o delegado titular, Thiago Passos, na casa foram apreendidos os pen-drives, além de um celular, o notebook e ao menos 170 DVDs com filmes pornográficos. Parte da mídia foi analisada pela polícia e foram identificados vídeos de cunho pornográfico com adolescentes.

Agora, a Polícia Civil vai investigar se o suspeito foi o responsável pela produção das fotos que mantinha e se os filmes retratam a participação de crianças ou adolescentes. O Conselho Tutelar também acompanhou a ação.

Produtora em casa

Ele ainda tentou alegar que as imagens encontradas em sua posse eram ‘nudes’ que a própria jovem teria enviado e que estavam em pen-drives. Foi verificado que as fotos eram de cunho pornográfico, retratando a adolescente e indicavam ainda que uma terceira pessoa teria fotografado os abusos, afastando a alegação de que eram ‘selfies’ encaminhadas pela vítima.

Ainda de acordo com a polícia, entre os DVDs apreendidos com o suspeito havia títulos, inclusive, de zoofilia. O acusado mantinha na casa uma espécie de produtora de filmes pornográficos. Ele foi preso em flagrante por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança ou adolescente. (*Com informações do Mídia Max)