Caso ocorreu no pátio do Detran - Arquivo/Mídia Max

O caso do médico do Detran (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) que apontou uma arma para um instrutor de autoescola na última sexta-feira (6) será encaminhado para a Polícia Federal.

Segundo a assessoria do órgão, foi lavrado um termo circunstanciado de ocorrência, apreendida a arma de fogo, tomada de depoimentos do autor, da vítima e da testemunha e estão sendo adotadas medidas no sentido de obtenção de eventuais imagens das câmeras do local dos fatos.

Confira a nota na íntegra:

A Delegacia Especializada em Trânsito (Deletran), sob o comando do delegado titular Fábio Sampaio, atendeu a ocorrência e tomou todas as medidas cabíveis ao caso.

Na ocasião, foi lavrado um termo circunstanciado de ocorrência, apreendida uma arma de fogo, tomada de depoimentos do autor, da vítima e da testemunha e estão sendo adotadas medidas no sentido de obtenção de eventuais imagens das câmeras do local dos fatos.

O próximo passo será o encaminhamento de ofício à Polícia Federal informando sobre os fatos, já que o médico possui porte de arma. O procedimento é feito para eventuais anotações para próximos pedidos de renovação do porte de arma.

Também será feito o encaminhamento de ofício à Corregedoria de Trânsito do Detran-MS para apuração de eventuais infrações administrativas e remessa do procedimento de Termo Circunstanciado de Ocorrência ao Ministério Público que atua junto aos Juizados Especiais Criminais de Campo Grande.

O caso

O caso acabou vindo à tona nesta semana. Segundo informações do instrutor no registro da ocorrência, ele estava levando um aluno até a porta do órgão na motocicleta, quando se deparou com o carro do médico, que estaria na contramão.

Ele, então, teria dado luz para que o médico abrisse caminho para ele passar. Nesse meio tempo aconteceu a briga entre os dois, momento em que o médico apontou a arma para ele e mandou que saísse da frente. (*Com informações do Mídia Max)