Casos de hepatite preocupam autoridades mundo afora - Getty Images

Mato Grosso do Sul tem três registros de hepatite aguda infantil de origem desconhecida. O Ministério da Saúde monitora os casos.

Os dados são de monitoramento feito pela Secretaria de Vigilância em Saúde, de atualização feita até a tarde do último sábado (14). A pasta criou uma Sala de Situação, na sexta-feira (13), para acompanhar as ocorrências e identificar as possíveis causas da enfermidade.

Segundo a Agência Brasil, essa sala de situação vai funcionar todos os dias da semana e conta com a participação de técnicos da pasta, da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e de especialistas convidados.

São Paulo é a unidade da federação com mais casos, 14 no total.

Interação 

Ainda segundo o site, além de monitorar, a Sala vai padronizar informações e orientar fluxos de notificação e investigação dos casos. Todas as secretarias estaduais e municipais de Saúde serão abastecidas com informações, além dos laboratórios centrais e de referência de saúde pública.

O que é

A hepatite (doença que atinge o fígado) já foi identificada em, pelo menos 20 países, com 200 casos. A doença se manifesta de forma muito severa e não tem relação direta com os vírus conhecidos da enfermidade. Em cerca de 10% dos casos, foi necessário realizar transplante de fígado.

A doença atinge, principalmente, crianças com um mês de vida aos 16 anos. Até o momento, foi relatada a morte de um paciente. (*Com informações do Top Mídia News)