Tuiuiú, ave símbolo do Pantanal, em seu habitat natural - Divulgação

Com a adesão de oito municípios inicialmente, a Rota Pantanal-Bonito se estrutura e se fortalece e um plano de ação estratégico começa a ser colocado em prática com foco no marketing dos destinos e na capacitação da mão-de-obra em todos os segmentos que compõe a cadeia do turismo, com o apoio da Fundtur (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul).

O BCVB (Bonito Convention & Visitors Bureau) assumiu, em novembro de 2021, a coordenação executiva da IGR (Instância de Governança Regional) da rota, que está em processo de reestruturação, com o objetivo de aglutinar os destinos do Pantanal e da Serra da Bodoquena e implementar ações em conjunto para qualificar e promover dois polos de grande relevância turística.

O objetivo da IGR é unir o poder público, entidades e membros da sociedade civil para tratar das políticas que irão fomentar e promover o turismo na região, de forma sustentável. As IGRs são fundamentais para a implementação de estratégias em nível regional para a descentralização da política pública estadual. E importante também pela continuidade das políticas públicas do Estado, sem que haja interrupção a cada ciclo de gestão pública.

Contato com a natureza atrai brasileiros e estrangeiros aos pantanais de Aquidauana, Miranda, Ladário e Corumbá – Divulgação

Captação de recursos

Oito municípios já aderiram à IGR: Bonito, Corumbá, Ladário, Bodoquena, Jardim, Bela Vista, Aquidauana e Miranda. Após a formação do Conselho Consultivo, o próximo passo será a captação dos recursos (R$ 10 mil por adesão) para implementação do plano de ação no segundo semestre deste ano, que inclui estratégias para atração de eventos e criação do calendário da rota.

A participação financeira dos municípios, segundo o BCVB, é fundamental para desenvolver as ações estratégicas, as quais contarão também com aporte do Governo do Estado, por meio da Fundtur/MS. A destinação dos recursos à IGR depende de aprovação de lei pelas câmaras municipais. Para 2023, a cota será fixada conforme a classificação dos municípios no Mapa Turístico.

Reunião realizada recentemente pela IGR no Sebrae de Bonito definiu as linhas básicas de ação para os próximos meses de 2022, que estão atreladas ainda ao suporte da Fundtur/MS por meio de editais para contratação de alguns serviços na área de marketing, como implementação de gestão em redes sociais, produção de uma plataforma digital e formação de um banco de imagens da rota.

Lagoa Misteriosa, um dos principais atrativos turísticos da região de Jardim – Divulgação

Cartilha de pesca

Faz parte das ações a definição de uma logomarca da rota e um roteiro de cada destino, bem como a sinalização turística e a elaboração de um calendário de eventos e de promoção. Na área de capacitação, serão oferecidos cursos conforme a demanda dos municípios, com apoio do Sebrae, Senac e Governo do Estado, incluindo os agentes de viagem.

Outra ação será a produção de cartilhas para a pesca esportiva direcionada a conscientização ambiental e importância do pesque-solte para a manutenção dos estoques pesqueiros. O material conterá informações sobre a legislação pesqueira vigente no Estado e dicas de como manipular o peixe entre a fisga e a soltura para garantia a sua sobrevivência.

Diretores do BCVB, agentes dos municípios e empresários de turismo que participaram da última reunião da rota – Divulgação

Durante o último encontro da IGR, a empresária de pesca esportiva de Corumbá, Joice Santana, explanou sobre o sucesso de sua empresa, que atrai grandes grupos de pescadores de todo o Brasil, e o trabalho que realiza para promover a prática do pesque-solte, hoje com adesão da maioria dos seus clientes. A empresária também promove os cruzeiros fluviais pelo Pantanal. (*Com informações do Campo Grande News)