Vista de Campo Grande: MS terá índices menores de chuva e queda na umidade relativa do ar - Edemir Rodrigues/Arquivo

Com a chegada do inverno, iniciado nesta terça-feira (21), a previsão é que Mato Grosso do Sul tenha índices menores de chuva e queda na umidade relativa do ar, que favorece por exemplo o aumento de incêndios florestais, com impacto na biodiversidade do Estado e na qualidade do solo.

Segundo o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de MS), a média climatológica para o trimestre de julho, agosto e setembro, mostra que as chuvas variam entre 50 a 300 mm em grande parte do Estado. Nas regiões do Bolsão e Pantanal a variação é de 50 a 100 (mm) e no Cone-Sul de 200 a 300 (mm).

A tendência é que as chuvas ficarão entre 40 a 50% abaixo da média (climatológica) durante este trimestre (julho, agosto e setembro). A previsão também indica a continuidade da La Ninã neste período, o que provavelmente vai influenciar nas condições do tempo, podendo favorecer um inverno mais rigoroso do que o normal, em função da incursão mais frequentes de massas de ar fria. O inverno segue até 22 de setembro.

Panorama para fim de junho

Nos próximos sete dias não há previsão de chuvas e nem queda significativa da temperatura. A tendência é a aproximação da nova frente fria somente em 29 e 30 de junho.