11ª edição da Caravana da Saúde deve atrair 100 mil pacientes

28

Ao menos 100 mil pessoas devem se submeter a algum procedimento médico, entre os quais cirurgias e consultas ambulatoriais, na 11ª edição da Caravana da Saúde, calcula o médico Marcelo Henrique de Melo, da assessoria técnica de ações de regionalização do já tido como o maior programa de saúde da história do Estado de Mato Grosso do Sul.

Principal plano de governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), o mutirão começa no dia 14, em Campo Grande, e a ação segue até o dia 29 deste mês. O programa será também ofertado à população de 16 municípios da conhecida microrregião da Capital.

O médico Marcelo Henrique disse que a previsão de 100 mil atendimentos, um recorde, pode superar a expectativa nesta 11ª edição da Caravana.

“Tem paciente que, ao perceber que um conhecido ou amigo seu na mesma condição, aguardando por consulta há anos, já desesperançado com a rede pública de saúde, seja atendido, sinta-se também estimulado a buscar o programa ao notar que a criação de serviços hospitalares, ofertados pela Caravana, hoje é uma realidade”, acredita o assessor de ação de regionalização do programa.

Levantamento ainda não fechado revela que na região de Dourados, onde ocorreu a 10ª edição da Caravana, foram atendidos direta ou indiretamente em torno de 55 mil. O prefeito da cidade, Murilo Zauith (PSB), disse que mutirão praticamente zerou a fila de espera dos pacientes e que “após a Caravana será possível dar agilidade e avançar na rotina do serviço regular”.

Já em Campo Grande, onde começa o mutirão daqui a dois sábados, é previsto, inicialmente, o atendimento a 10.800 de pacientes que precisam de consultas nas especialidades de neurologia, psiquiatria, ortopedia, endocrinologia, cardiologia, urologia e reumatologia.

Exames de ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia e colonoscopia devem beneficiar 7.700 pessoas. O número maior de pacientes atendidos, a exemplo do que ocorreu nas edições passadas da Caravana, envolve pacientes que aguardam por tratamentos oftalmológicos. De acordo com o médico Marcelo Henrique, consultas e cirurgias em questão devem somar durante o mutirão entre 30 e 40 mil atendimentos.

Além de Campo Grande, a Caravana da Saúde vai atender pacientes de Terenos, Sidrolândia, Nova Alvorada do Sul, Maracaju, Ribas do Rio Pardo, Jaraguari, Rochedo, Bandeirantes, Camapuã, São Gabriel do Oeste, Rio Negro, Paraíso das Águas, Figueirão, Chapadão do Sul e Costa Rica.