Médium é denunciado por abuso sexual também em Mato Grosso do Sul

O médium João de Deus chega à Casa Dom Inpacio Loyola, em Abadiânia.

Alvo de mais de uma centena de denúncias de cunho sexual, João de Deus teria feito ao menos uma vítima em Mato Grosso do Sul. A mulher teria sido abusada entre 2008 e 2009, anos em que o médium realizou atendimentos em Bonito.

A comarca municipal do Ministério Público Estadual foi quem recebeu o relato, por meio do Promotor de Justiça João Meneghini Girelli. As características do abuso relatado são similares às divulgadas por demais vítimas, e na época já teria causado ‘burburinho’ no município de pouco mais de 20 mil habitantes, mas o caso não chegou às autoridades.

Girelli tem expectativa de que, aos poucos, mais casos sejam denunciados. “A própria vítima disse que não escondeu de ninguém, comentou entre as pessoas que conhecia, mas ficava aquele sentimento de receio em formalizar qualquer denúncia. Mas em seu relato percebi que foi exatamente a mesma coisa, ela foi chamada para um atendimento particular e sofreu o abuso”, diz.

João de Deus, como era conhecido João Teixeira de Farias, 76 anos, atendeu milhares de pessoas de todo o Estado em Bonito há uma decada, a convite de um grupo de moradores. Os atendimentos, no Salão Acácia Branca, eram realizados em modelo bastante similar aos de sua sede espiritual em Abadiânia, Goiás, onde atua há 42 anos e recebe pessoas de diversos países.

Foi improvisada a construção de salas separadas, uma de preparação que antecedia o encontro com o médium, e outra em que ele permanecia em um tipo de ‘trono’, em que realizava seus diagnósticos supostamente incorporado por entidade responsável pelas curas, psicológicas ou físicas, que tantos buscavam nele. Ao lado, foi instalado um posto de venda de passiflora, que seria parte do tratamento dos ‘pacientes’.

Os organizadores dessas sessões de atendimento em Bonito também seriam responsáveis por caravanas com destino à Abadiânia, na Casa Dom Inácio de Loyola. Essas pessoas devem ser chamadas para serem ouvidas no Ministério Público como testemunhas.

O promotor reforça que o órgão e a Polícia Civil de Bonito estão abertos para receber denúncias, que serão apuradas em força-tarefa entre demais unidades do Ministério Público do país. O MP também criou um e-mail para receber as denúncias [email protected] e pede que as mulheres relatem o que aconteceu, com dados que permitam a identificação, para agendar os depoimentos, que serão colhidos de forma individual.

O caso

O escândalo sobre as acusações de crimes sexuais supostamente cometidos pelo médium goiano divide opiniões no município de aproximadamente 12 mil habitantes, a cerca de 100 quilômetros de Brasília. O médium goiano declarou nesta quarta-feira (12) que está à disposição da Justiça brasileira.

De acordo com a assessora de imprensa da Casa Dom Inácio, Edna Gomes, João de Deus tem conversado pouco e garante ser inocente. “As denúncias realmente são gravíssimas e têm que ser apuradas. O seu João está à disposição da Justiça para que a verdade seja descoberta”, disse a assessora, evitando entrar em detalhes sobre o teor das denúncias e sobre a estratégia que será adotada pela defesa do médium.

De acordo com MP de Goiás, 206 mulheres relataram, até então, denúncias de abuso sexual contra o médium João de Deus e pediu pela prisão preventiva do acusado.

 

*As informações são do TopMídiaNews