MVA de 78% baixou para 38%, baixando assim o preço final das lâmpadas de LED para o consumidor

24

Uso de lâmpadas Led deve crescer 30% até dezembro 2015

 

Com os reajustes ocorridos na energia elétrica, a tecnologia ganha mercado por oferecer economia e eficiência além de agradar arquitetos de todo Brasil.

A Eficiência Energética é tema de mais um SIMPOLUX Nordeste – Simpósio Brasileiro de Iluminação Eficiente que será realizado no dia 22/10, no Centro de Convenções de Pernambuco, com inscrição gratuita.

Mais econômicas e eficientes, as lâmpadas Led (diodos emissores de luz) são a grande aposta do mercado de iluminação em todos os segmentos: industrial, residencial, decorativa, pública e de emergência. Para 2015, a ABILUX – Associação Brasileira da Indústria de Iluminação prevê um crescimento de 30% no consumo desta tecnologia, sobretudo com os reajustes ocorridos na energia elétrica, que de acordo com o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em doze meses já acumula alta de 60,42%.

O mercado mundial de iluminação está em fase de grande transição devido a tecnologia dos LEDs, que em conjunto com novos designs de luminárias, começam a revolucionar a aplicação da luz proporcionando eficiência, economia, longa vida das fontes de luz, além de influenciar a qualidade de vida das pessoas. “A substituição das lâmpadas incandescentes pelas lâmpadas LEDs pode proporcionar economia de cerca de 80 a 90% nas residências em qualquer parte do país. Na iluminação pública a redução do consumo pode ser de 50% a 70% conforme o tipo da instalação”.

Em nossa capital morena, muitos arquitetos já indicam esta tecnologia como solução em projetos de iluminação. “O Led já está em 100% dos projetos, e cerca de 85% da iluminação nos projetos realizados já contam com esta tecnologia, pois há uma redução no consumo de energia, além de proporcionar mais conforto porque esquenta menos o ambiente”

______________________________________________________________________________

Seguindo a mesma tendência, os arquitetos em geral, diz não abrir mão da tecnologia em seus projetos, sobretudo pela durabilidade. “O investimento inicial é mais alto, em todo território brasileiro, em nosso estado temos uma vantagem, porque o MVA de 78% baixou para 38%, baixando assim o preço final das lâmpadas de LED para o consumidor, conforme decreto DECRETO Nº 14.247, DE 20 DE AGOSTO DE 2015. Publicado no DOE n° 8.989, de 21.08.2015,

coluna 07.10 a