Sem regalias e sozinho em cela, Olarte está preso no 3º DP

35

Por Gil Nei Silva

Já era cogitado que o prefeito afastado Gilmar Olarte (PP) pudesse se apresentar na madrugada dessa sexta-feira (2) em qualquer delegacia de Campo Grande, já que tinha esse direito, mesmo com decisão judicial. Olarte já era considerado foragido.

O prefeito afastado escolheu o 3º Distrito Policial (DP) no Bairro Carandá Bosque. Ele chegou por volta das 4h50, acompanhado por advogados, onde foi recebido pelo delegado titular Fabiano Nagata.

Gilmar Olarte aparece como um dos principais envolvidos em uma esquema de compra de votos para cassação do atual prefeito Alcides Bernal (PP), alvo de investigações por parte do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), dentro da Operação Coffee Break.

Olarte  teve a prisão temporária (de cinco dias) decretada na noite de quarta-feira (30) pelo desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS), atendendo a um pedido do Gaeco.

O Poder Judiciário Estadual decretou também a prisão do empreiteiro João Amorim que se apresentou no Garras na quinta-feira (1), onde continua preso.

Sem Regalias

  (Foto: Warren Nabuco)                                                                                                                                                                                 Em coletiva a imprensa nessa manhã, o delegado disse que o prefeito afastado ocupa uma das celas, e não tem nenhuma regalia, informou que no local existem três beliches apenas, nenhum kit de mídia ou de conforto será disponibilizado ao político. Nagata afirmou que após o exame de corpo de delito, o preso cumprirá a determinação judicial por cinco dias e após esse prazo estará a disposição para os procedimentos seguintes.

Conforme o advogado de Olarte, Jail Azambuja, a defesa aguarda uma decisão sobre um pedido de habeas corpus impetrado no mesmo dia da divulgação do mandado de prisão.